Roteiro e reflexão Epifania do Senhor do Natal

432

Elaborado por Vasco Lagares – Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano

Reflexão do Evangelho: Revista Vida Pastoral

05 de janeiro de 2020

REFRÃO

Ó luz do Senhor, que vem sobre a terra, inunda meu ser, permanece em nós.

Ani. Hoje a Igreja celebra a manifestação de Jesus ao mundo, representado na figura dos Reis Magos. Este menino, nascido pobre, convoca a todos e todas, para a construção de um Reino que atenda a toda a criação. Jesus de Nazaré dá a todos a força necessária para enfrentar os obstáculos deste mundo, e, não sucumbindo aos poderes desta terra, trilhar o caminho da vida.

(durante o canto entrar com os Reis Magos, colocando junto ao presépio, em seguida entra a Equipe de Liturgia)

RITOS INICIAIS

  1. CANTO DE ENTRADA

 

São três reis que chegam lá do oriente

Para ver um rei que acaba de nascer

Dizem que um é branco, o outro, cor de jambo

O outro rei é negro e que vieram ver

 

O novo rei que nasceu

Igual estrela no céu

 

Dizem que uma estrela muito diferente

Lá do oriente se podia ver

Falam de um cometa, ninguém sabe ao certo

Mas pelo deserto eles vieram ver

 

Ao novo rei que nasceu

Igual estrela no céu

 

E trazem ouro, incenso e mirra

Pra festejar o novo rei

Que tem poder e majestade

Que vem do céu, que é de Deus

Que vai sofrer, que vai morrer

E que nos libertará

 

São milhões de vidas que no ocidente

Que no oriente sofrem de opressão

Têm todas as cores, todos os temores

Todos os rancores desta humilhação

 

Esperam libertação

E olham todos pro céu

 

Dizem que um futuro muito diferente

Essa pobre gente ainda conhecerá

Dizem que é seguro, que o futuro é certo

Que anda muito perto, que começa já!

 

Olham pro rei que nasceu

Igual estrela no céu

2) ACOLHIDA E SAUDAÇÃO

PR: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo

ASS: Amém

PR: A Graça de nosso Senhor Jesus Cristo, que se

revela às nações, o amor do Pai e a comunhão do

Espírito Santo, estejam convosco.

ASS: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Neste momento, o presidente pode solicitar que algumas pessoas, brevemente, lembrem da manifestação de Deus em nosso meio, aquilo que produz vida para o povo e toda a criação

3) ATO PENITENCIAL:

  1. Irmãos e irmãs, celebrando a presença do Emanuel em nosso meio, vamos nos preparar dignamente para celebrar os santos mistérios. Em silêncio, façamos nosso exame de consciência.
  2. Senhor, Filho de Deus, que nascido em Belém, te fizeste nosso irmão, tende piedade de nós.
  3. Senhor, tende piedade de nós.
  4. Cristo, Filho primogênito do Pai, que nos fazes passar da morte para a vida, tende piedade de nós.
  5. Cristo, tende piedade de nós.
  6. Senhor, imagem da nova humanidade, que nos reconcilia com o Pai, tem piedade de nós.
  7. Senhor, tende piedade de nós.
  8. Deus de ternura e misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna. T. Amém.

4) GLÓRIA

 Glória a Deus nos altos céus! Paz na terra seus amados / a vós louvam, Rei celeste, os que foram libertados,

Gló……………………………ria. In excelsis De…o

Gló……………………………ria, In excelsis De…o…o

Deus e Pai, nós vos louvamos, adoramos, bendizemos. / Damos glória ao vosso nome, vossos dons agradecemos.

Senhor nosso, Jesus Cristo, Unigênito do Pai, / Vós, de Deus Cordeiro Santo, nossas culpas perdoai.

Vós, que estais junto do Pai, Como nosso Intercessor, / Acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamor.

Vós somente sois o Santo, o Altíssimo, o Senhor, / Com o Espírito Divino, de Deus Pai no esplendor.

5) ORAÇÃO DO DIA

PR.: Oremos: Ó Deus, que hoje revelastes o vosso filho às nações, guiando-as pela estrela, concedei aos vossos servos e servas, que já vos conhecem pela fé, contemplar-vos um dia face a face no céu. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo

Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

 6) PRIMEIRA LEITURA – Is 60,1-6

Leitura do Livro do Profeta Isaías

7) SALMO – Sl 71

  1. As nações de toda a terra, hão de adorar-vos ó Senhor!

8) SEGUNDA LEITURA –  Ef 3,2-3a.5-6

Leitura da Carta de São Paulo aos Efésios

9) ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO 

Aleluia, aleluia! Aleluia, aleluia!

Aleluia, aleluia! (bis)

Vimos sua estrela no Oriente / E viemos adorar o Senhor.

10) EVANGELHO – Mt 2,1-12

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus

 11) HOMILIA\REFLEXÃO

O evangelho deste dia é o relato da visita dos magos, um texto exclusivo de Mateus e um dos mais encantadores de todo o Novo Testamento, pois, além de rica teologia, possui uma beleza ímpar. O relato se inicia com as indicações de tempo e espaço (cf. v. 1a), e com elas o evangelista recorda que Jesus não é um personagem mitológico, mas um ser real e concreto, que se inseriu plenamente na história, apesar do caráter simbólico do episódio. Os magos desse relato não são personagens reais, mas fruto da inteligência e criatividade do evangelista, e representam todos os povos da terra, antecipando a universalidade do cristianismo. Mesmo que a tradição tenha feito, não é necessário determinar a quantidade, nem seus respectivos nomes, nem, muito menos, elevá-los à categoria de reis.

O primeiro objetivo do relato é ensinar que, em Jesus, a luz de Deus ganha um alcance universal. Seu brilho chega a todos os povos indistintamente, embora haja clara opção preferencial pelos excluídos e marginalizados. Ora, os magos eram astrólogos, intérpretes de sonhos e de fenômenos da natureza, praticantes da magia, uma atividade condenada explicitamente pela Lei de Moisés (cf. Lv 19,26; Dt 18,9-12). Ao apresentá-los como os primeiros adoradores de Jesus em seu evangelho (cf. vv. 2.11), Mateus evidencia quem são os destinatários primeiros da salvação: as pessoas de pouca reputação, vítimas de preconceitos, os pobres e marginalizados em geral.

Os magos se deixam conduzir pela estrela, mas somente por ela não conseguem chegar ao destino, embora cheguem perto (cf. v. 1). Esse dado também é muito importante, pois mostra que Deus se deixa conhecer parcialmente por meio dos elementos da criação, mas esse conhecimento é limitado: não é possível chegar até ele sem o auxílio da Escritura, mesmo que seus intérpretes oficiais, como os sacerdotes e mestres da Lei (cf. vv. 4-6), tenham sido corrompidos pelo poder. Por sinal, são os detentores de poder, tanto político quanto religioso, os mais refratários à novidade de Jesus (cf. v. 3).

Guiados pela Escritura, os magos chegam ao destino (cf. vv. 9-11). Como Jerusalém estava contaminada pelo poder arbitrário de Herodes e seus cúmplices, as lideranças religiosas, lá não era possível encontrar-se com a luz de Deus nem adorar verdadeiramente. Somente se deslocando para a periferia puderam, de fato, experimentar o Deus que tanto buscavam. O Templo perdeu seu sentido, Deus já não habita nele; é necessário retirar-se para a periferia, inserir-se na comunidade e, assim, adorar e experimentar a beleza desse Deus que quer apenas misericórdia e amor, e não mais sacrifícios.

Em Belém, os magos contemplam o recém-nascido e, prostrados, adoram-no (cf. v. 11). Essa atitude mostra que finalmente se saciaram, encontraram sentido para suas vidas e, portanto, esvaziaram-se de si, oferecendo seus dons: ouro, incenso e mirra. Esses presentes são uma síntese da identidade de Jesus, simbolizando, respectivamente, a realeza, a divindade e a condição humana sujeita à morte. Não ofereceram porque lhes fora exigido, mas porque se sentiram confortados e correspondidos.

O texto termina com uma afirmação de muita relevância para a comunidade cristã e para todas as pessoas de todos os tempos e lugares: os magos retornaram seguindo outro caminho (cf. v. 12). Para viver essa nova relação com Deus, é necessário desviar-se das antigas rotas e estruturas, representadas por Herodes e pelo Templo. Quem faz uma experiência autêntica com Deus segue outro caminho. Eles perceberam, finalmente, que Jerusalém só oferecia exploração, ganância e violência. A experiência autêntica com Deus faz o ser humano mudar a mentalidade e, consequentemente, o caminho a percorrer. Esse caminho significa o agir, o jeito de viver.

Fonte: Revista Vida pastoral 

12) PROFISSÃO DE FÉ

Creio em um só Deus, Pai todo-poderoso, / Criador do céu e da terra; de todas as coisas visíveis e invisíveis./ Creio em um só Senhor, Jesus Cristo, / Filho Unigênito de Deus, / nascido do Pai antes de todos os séculos: / Deus de Deus, / luz da luz, / Deus verdadeiro de Deus verdadeiro, / gerado, não criado, / consubstancial ao Pai. / Por Ele todas as coisas foram feitas. / E por nós, homens, e para nossa salvação, / desceu dos céus: (Todos se inclinam)

 e se encarnou pelo Espírito Santo, / no seio da virgem Maria, / e se fez homem.

(Retorna-se à posição anterior)

Também por nós foi crucificado / sob Pôncio Pilatos; / padeceu e foi sepultado. / Ressuscitou ao terceiro dia, / conforme as Escrituras, / e subiu aos céus, / onde está sentado à direita do Pai. / E de novo há de vir, em sua glória, / para julgar os vivos e os mortos; / e o seu reino não terá fim. / Creio no Espírito Santo, / Senhor que dá a vida, / e procede do Pai e do Filho; / e com o Pai e o Filho é adorado e glorificado: / ele que falou pelos profetas. / Creio na Igreja, /una, santa, católica e apostólica. / Professo um só batismo / para remissão dos pecados. / E espero a ressurreição dos mortos / e a vida do mundo que há de vir. Amém.

13) PRECES DA ASSEMBLEIA

PR: Neste dia em que Jesus se manifestou a todos os povos, rezemos juntos:

  1. Aceitai nosso louvor, Senhor!

Ajudai, Senhor, a família humana a seguir os ensinamentos de Vosso Filho, para que haja mais vida em nossa Casa Comum, rezemos juntos.

Abençoai, Senhor, as nossas comunidades, para se tornem lugares de acolhida e solidariedade, sendo a manifestação do Reino de Vosso Filho, rezemos juntos.

Ajudai, Senhor, nossa Igreja, para que superem toda a divisão e se torne mais samaritana, estando onde as pessoas precisam de sua presença libertadora, rezemos juntos.

Ajudai, Senhor, nosso pais, para que os que promovem a justiça e a vida, encontrem forças nas palavras de Seu Filho, e possam ser sinais de vida em nossa caminhada, rezemos juntos.

PR.: Tudo isto, vos pedimos, ó Cristo,

Vós que viveis e reinais pelos séculos dos séculos. AS.: Amém.

LOUVOR E AÇÃO DE GRAÇAS

Ani. Tendo participado da mesa da Palavra, participemos agora da mesa da Eucaristia, façamos nossa oferta material.

14) CANTO DAS OFERTAS

Nas terras do Oriente/ Surgiu dos céus uma luz/

Que vem brilhar sobre o mundo/ E para Deus nos conduz. (bis.)

Nasceu Jesus Salvador/ Aleluia, Aleluia/

É Ele o Cristo Senhor/ Aleluia, Aleluia!

Nasceu-nos hoje um menino/ Um Filho que nos foi dado/

É grande e tão pequenino/ Deus forte é Ele chamado. (bis.)

Cantai com muita alegria/ Que grande amor Deus nos tem/

Pequeno, pobre, escondido/ Nasceu por nós em Belém. (bis.)

LOUVAÇÃO E AÇÃO DE GRAÇAS

Enquanto o Ministro da Sagrada Comunhão traz o Pão consagrado e coloca sobre o altar, pode se entoado um canto de louvação

Em seguida o Presidente continua…

  1. O Senhor esteja com vocês.
  2. Ele está no meio de nós!
  3. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
  4. É nosso dever e nossa salvação!
  5. É um prazer para nós te louvar, Deus do universo. Antes que nos aproximássemos de ti, tu te fizeste próximo de nós, igual a nós na humanidade de Jesus, para nos fazer participar da tua glória, por Cristo teu servo, nosso salvador.
  6. Glória a ti Senhor, graças e louvor!
  7. Hoje revelastes o mistério de teu filho como luz para iluminar todos os povos no caminho para a salvação. Pelo Cristo que se manifestou em nossa carne mortal, tu nos recriastes na luz eterna de sua divindade.
  8. Glória a ti Senhor, graças e louvor!
  9. Bendito sejais, pelos sinais de tua bondade nas diferentes culturas. Como iluminastes os magos com a estrela de Belém, iluminai o caminho de todos os povos e de todas as pessoas que te buscam.
  10. Glória a ti Senhor, graças e louvor!
  11. Toda a nossa louvação chegue a Ti, em nome de Jesus, por que oramos com as palavras que Ele nos ensinou:

AS.: Pai Nosso…

 15) RITO DE COMUNHÃO

MESC:Relembrando de Jesus que, muitas vezes, reuniu-se com os seus para comer e beber, revelando que o teu reino havia chegado, nós também nos alegramos com Ele neta mesa.

MESC: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

AS.: Senhor, eu não sou digno(a)…

16) CANT0 DE COMUNHÃO

1-Cristãos vinde todos, com alegres cantos. Oh! vinde,        Oh! vinde até Belém. Vede nascido Vosso Rei  eterno.

Oh! vinde adoremos,   oh! vinde adoremos,

oh! vinde adoremos o    sal…va..dor,

Humildes pastores deixam seus rebanhos e alegres     acorrem ao Rei  dos céus. Nós igualmente, cheios de alegriia.

Nasceu em pobreza, repousando em palhas, o nosso  afeto    lhe vamos  dar, tanto amou-nos!  Quem não há de amá-lo?

A estrela do oriente conduziu os magos e a este    mistério  envolve em luz/ tal claridade, também   seguiremos.

17) ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

PR.: Oremos: (silêncio) Ó Deus, guiai-nos sempre e por toda parte com a vossa luz celeste, para que possamos acolher com fé e viver com amor o mistério que nos destes participar. Por Cristo, nosso Senhor.

  1. Amém.

18) AVISOS

19)BENÇÃO FINAL

  1. O Senhor esteja convosco.
  2. Ele está no meio de nós.
  3. O Deus de toda a claridade nos ilumine com a luz e Jesus Cristo e nos faça caminhar como filhos e filhas da luz, agora e sempre!
  4. Amém.
  5. Abençoe-vos Deus amoroso e acolhedor, Pai e Filho † e Espírito Santo.
  6. Amém.
  7. Vamos em paz e o Senhor vos acompanhe.
  8. Graças a Deus!

20)CANTO FINAL

Ó Deus salve o oratório

Ó Deus salve o oratório

Onde Deus fez a morada

Oiá, meu Deus, onde Deus fez a morada, oiá

Onde mora o calix bento

Onde mora o calix bento

E a hóstia consagrada

Óiá, meu Deus, e a hóstia consagrada, oiá

 

De Jessé nasceu a vara

De Jessé nasceu a vara

E da vara nasceu a flor

Oiá, meu Deus, da vara nasceu a flor, oiá

E da flor nasceu Maria

E da flor nasceu Maria

De Maria o Salvador

Oiá, meu Deus, de Maria o Salvador, oiá

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui