Roteiro e reflexão do 32º Domingo do Tempo Comum

520

Elaboração do roteiro: Vasco Lagares

Reflexão bíblica:CEBI

 

Chegue até vós a minha súplica; inclinai vosso ouvido à minha prece (Sl 87,3).

REFRÃO

Deus é amor, arrisquemos viver por amor!

Deus é a – mo – o – or, Ele a – fasta o medo!

Ani.Ao participarmos da celebração da Páscoa de Jesus, somos  lembrados que nossa vida não acaba, ela tem um novo sentido, a partir da morte. Nossa esperança na Ressurreição nos impulsiona a contribuir para que o Reino de Deus aconteça já em nossa vida, em nossa caminhada neste mundo. Por isso, é necessário percorrer caminhos de fidelidade ao Projeto de Deus, inaugurado em Jesus Cristo, diante de nossa realidade cotidiana. Nossa coerência e fidelidade com o evangelho nos guiará para nossa vida eterna.

RITOS INICIAIS

  1. CANTO DE ENTRADA

Somos gente da esperança

Que caminha rumo ao Pai.

Somos povo da Aliança

Que já sabe aonde vai.

De mãos dadas a caminho

Porque juntos somos mais,

Pra cantar o novo hino

De unidade, amor e paz.

Para que o mundo creia

Na justiça e no amor,

Formaremos um só povo

Num só Deus, um só pastor.

 

Todo irmão é convidado

Para a festa em comum

Celebrar a nova vida

Onde todos sejam um.

  1. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO

PR:Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

ASS: Amém!

PR:A graça de Nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do pai e a comunhão do espírito santo estejam convosco.

ASS: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo

  1. ATO PENITENCIAL:

PR:Meus irmãos e irmãs, nos colocando diante do Senhor, reconheçamos as nossas culpas para participarmos dignamente da mesa do Senhor;Confessemos os nossos pecados:

PR: Tende compaixão de nós, Senhor.

ASS: Porque somos pecadores

PR: Manifestai Senhor a vossa Misericórdia.

ASS: E dai-nos a vossa salvação

Pres: Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Ass: Amém.

Canto: Senhor, tende piedade de nós!

(2x) Cristo, tende piedade de nós! (2x)

Senhor, tende piedade de nós! (2x)

  1. HINO DE LOUVOR:

Glória a Deus nas alturase paz na terra aos homens por ele amados

Senhor Deus, rei dos céus, Deus Pai todo poderoso

Nós Vos louvamos

Nós Vos bendizemos

Nós Vos adoramos

Nós Vos glorificamos

Nós Vos damos graças, por Vossa imensa glória.

Senhor Jesus Cristo, Filho unigênito

Senhor Deus, Cordeiro de Deus, Filho de Deus Pai

Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós

Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica

Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós

Só Vós sois Santo \ Só Vós sois o Senhor \ Só Vós o Altíssimo, Jesus Cristo \ com o Espírito Santona glória de Deus Pai. Amém!

5 ORAÇÃO DO DIA

PR.:Deus de poder e misericórdia, afastai de nós todo obstáculo para que, inteiramente disponíveis, nos dediquemos ao vosso serviço. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

AS.: Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

  1. PRIMEIRA LEITURA – 2 Macabeus 7,1-2.9-14

Leitura do livro dos Macabeus.

  1. SALMO – 16/17
  2. Ao despertar, me saciará vossa presença e verei a vossa face!
  1. SEGUNDA LEITURA – 2 Tessalonicenses 2,16-3,5

Leitura da segunda carta de são Paulo aos Tessalonicenses

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia, aleluia, aleluia.

Jesus Cristo é o primogênito dos mortos; a ele a glória e o domínio para sempre! (Ap 1,5s).

  1. EVANGELHO – Lucas 20,27-38 ou 27.34-38

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.

  1. HOMILIA\REFLEXÃO

 O evangelho de hoje traz à luz o antigo e sempre atual questionamento sobre o que acontece depois morte. Existe vida, ressurreição?

Jesus responde a esta pergunta. Mas, para entender sua resposta, precisamos conhecer um pouco sobre a fé na ressurreição no Primeiro Testamento.

Porque é dessa tradição veterotestamentária que bebe Jesus e os/as primeiros/as cristãos/ãs.

O texto explica claramente que os saduceus não acreditam na ressurreição. Eles se opõem ao pensamento inovador dos fariseus que afirmam a ressurreição, a existência de anjos e acreditam no juízo de Deus.

Quando lemos o Primeiro Testamento, descobrimos um Deus da vida e dos vivos. O livro do Deuteronômio O apresenta como “o Senhor da vida e da morte” (Deuteronômio 32,39).

O segundo livro dos Macabeus, em que se narra o martírio dos sete irmãos e sua mãe, expressa a esperança deles na ressurreição: “É o Criador do mundo que formou o homem em seu nascimento e deu origem a todas as coisas, que vos retribuirá, na sua misericórdia, o espírito e a vida…” (2 Macabeus 7,23).

Dessa maneira, este texto, assim como outros (Salmo 73,23; Isaías 26,19; Oseias 6,1-3), nos revelam um Deus que é fiel à aliança que fez com seu povo, e essa fidelidade é salvadora. Por isso, os justos, aqueles/as que vivem conforme a sua lei, não conheceram a corrupção, senão a vida em plenitude que Deus lhes dará em recompensa.

Jesus se situa em continuidade a esta fé. Tomando as palavras de Moisés, afirma sua crença num Deus que “não é Deus de mortos, mas de vivos, pois todos vivem para ele”.

Ele conhece o amor de seu Pai a cada uma de suas criaturas e sabe também que esse amor criador, incondicional, é mais forte que a morte, a ponto de ele mesmo chegar a proclamar:

“Eu sou a ressurreição e a vida, quem acredita em mim, mesmo que morra, viverá” (João 11,22).

O texto de hoje quer também esclarecer o conceito de ressurreição. Podemos fazer uma parada e nos perguntarmos qual é nossa ideia sobre a ressurreição dos mortos.

A pergunta dos saduceus a Jesus se baseia na lei judaica do levirato, que buscava proteger a viúva (Deuteronômio 25,5-10). Quando o homem morre sem deixar filhos, seu irmão deve tomar sua mulher para cuidar e também gerar prole. Então, “na ressurreição, de quem a mulher vai ser esposa?”.

Esta pergunta desenha um imaginário errôneo de ressurreição como repetição desta vida, anulando a novidade que a ressurreição cria, gera, não regida mais pelas leis físicas ou biológicas, senão pelo amor de Deus no qual a criatura ressuscitada participa.

Isso não quer dizer que a pessoa, ao ressuscitar, perde sua identidade, diluindo-se na presença de Deus.

Ao contrário! Assim como Jesus, ao ressuscitar, alcança sua plenitude humana, seus irmãos e irmãs que morrem, ao ressuscitar, não perdem sua identidade, continuam sendo eles/as e seu mundo de relações que os/as definem, mas de uma maneira mais plena, total, que transcende as barreiras do tempo e do espaço.

O teólogo espanhol Andrés Torres Queiruga, refletindo sobre a afirmação de Jesus de que na ressurreição os homens e as mulheres “não se casarão mais, porque não podem mais morrer, pois serão como os anjos”, considera que estas palavras não anunciam uma vida abstrata ou despersonalizada.

Antes, elas aludem à plenitude do novo modo de existência, em que o amor, porque estará livre do egoísmo, não se submeterá à rivalidade e à exclusão. Os vínculos e o amor se conservarão, mas já não se limitarão à vida e às relações, mas se expandirão para alegria de todos.

Assim sendo, o evangelho de hoje é um convite a renovar nossa fé no Deus da vida, que fez de seu filho Jesus o primogênito dos que ressuscitam dos mortos, criando para nós o caminho da vida eterna.

Crer na ressurreição de Jesus nos leva a crer na nossa própria ressurreição, a celebrar a vida nova de nossos mortos e a esperar ativamente nos encontrarmos todos e todas no banquete eterno, onde todos, sem exceção, nos sentaremos na mesma mesa dos filhos e filhas de Deus.

  1. PROFISSÃO DE FÉ
  2. PRECES DA ASSEMBLÉIA

PR:Alimentados com a palavra de Deus, vamos com fé elevar a Deus nossas esperanças, rezando com fé:

  1. Senhor, atendei-nos em nossa esperança
  2. Senhor, conduza vossa Igreja neste mundo, para que possamos oferecer uma caminho de esperança e amor, conduzindo a todos ruma ao Reino definitivo, rezemos.
  3. Senhor, fortalecei nossas comunidades, pastorais, grupos e movimentos, para que sejam semeadores da vida e construtores da paz, rezemos.
  4. Senhor, muitos irmãs e irmãos perderam o sentido da vida. Fortalecei em nossas comunidades, os grupos e pessoas que em sua atividade diária, trabalham para fortalecer nestas pessoas o deseja de viver segundo a vontade do Cristo, rezemos.
  5. Senhor, fortalecei o Papa Francisco em ministério pastoral, sua entrega por uma Igreja mais próxima e que acolha a todos e todas, rezemos.

PR.: Pai de misericórdia, acolhei as preces que dirigimos a Vós, atendei com bondade o que pedimos com fé. Por Cristo, nosso Senhor. AS.: Amém.

LOUVOR E AÇÃO DE GRAÇAS

Ani. Tendo participado da mesa da Palavra, participemos agora da mesa da Eucaristia, façamos nossa oferta material.

  1. CANTO DAS OFERTAS

DE MÃOS ESTENDIDAS, OFERTAMOS

O QUE DE GRAÇA RECEBEMOS. (BIS)

A natureza tão bela

que é louvor, que é serviço,

o sol que ilumina as trevas

transformando-as em luz.

O dia que nos traz o pão

e a noite que nos dá repouso,

ofertemos ao senhor

o louvor da criação.

(refrão)

Nossa vida toda inteira

ofertamos ao senhor

como prova de amizade,

como prova de amor.

Com o vinho e com o pão

ofertamos ao senhor

nossa vida toda inteira

o louvor da criação.

(REFRÃO)

  1. Irmãos: Agradecidos, elevemos nossos louvores ao Pai. Com braço forte Ele conduziu seu povo e continua, com a luz de seu Espírito, a acompanhar a Igreja peregrina neste mundo.
  2. Bendito e louvado seja Deus, Pai que tanto amor demonstra a todos nós.

PR.: O Senhor esteja conosco.

  1. Ele está no meio de nós.

 

  1. Elevemos ao Senhor nosso louvor.
  2. É nossa alegria e salvação.

 

PR.: Nós vós damos graças, ó Pai, por toda a vossa criação e por tudo o que fizestes no meio de nós, por intermédio de Jesus Cristo, vosso Filho e nosso irmão, que nos destes como imagem viva do vosso amor e de vossa bondade.

  1. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!

PR.: Envie sobre nós, aqui reunidos, o vosso Espírito e dai a esta  terra que nos sustentauma nova face. Que haja paz em nossas famílias e cresça em nossa comunidade a alegria de sermos vossos por Cristo, nosso Senhor.

  1. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!

PR.: Pela Palavra do Evangelho de vosso Filho, fazei que as Igrejas do mundo inteiro caminhem na unidade com o Papa Francisco e sejam sinais da presença do Cristo ressuscitado. Tornai esta comunidade cada vez mais sinal de vossa bondade e unida na caminhada com a Diocese sob a orientação do nosso Bispo ….

  1. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!

PR.: Lembrai-vos, ó Pai, dos nossos irmãos e irmãs que morreram na paz de Cristo…(lembrar os falecidos da comunidade), e de todos os falecidos, cuja fé só vós conhecestes; acolhei-os junto a vós, na luz da vossa infinita misericórdia.

  1. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!

PR.: Ó Deus, criador do céu e da terra, os nossos louvores e as nossas preces cheguem a vós pelas mãos daquele que é nosso único mediador, Jesus Cristo, nosso Senhor.

  1. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!
  2. RITO DE COMUNHÃO

PR.: Como Jesus nos ensinou, rezemos ao Pai com confiança:

AS.: Pai Nosso…

MESC: Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo!

AS.: Senhor, eu não sou digno(a)…

  1. CANT0 DE COMUNHÃO

Procuro abrigo nos corações, de porta em porta desejo entrar. Se alguém me acolhe com gratidão, faremos juntos a refeição. Se alguém me acolhe com gratidão, faremos juntos a refeição.

Eu nasci pra caminhar assim,dia e noite; vou até o fim. O meu rosto o forte sol queimou,meu cabelo o orvalho já molhou:eu cumpro a ordem do meu coração.

(refrão)

Vou batendo até alguém abrir. Não descanso, o amor me faz seguir. É feliz quem ouve a minha voz,e abre a porta, entro bem veloz. Eu cumpro a ordem do meu coração.

(refrão)

Junto à mesa vou sentar depoise faremos refeição, nós dois. Sentirá seu coração ardere esta chama tenho de acender,eu cumpro a ordem do meu coração.

(refrão)

Aqui dentro, o amor nos entretém,e, lá fora, o dia eterno vem. Finalmente nós seremos um,e teremos tudo em comum! Eu cumpro a ordem do meu coração.

(refrão)

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

PR.: Fortificados por este alimento sagrado, nós vos damos graças, ó Deus, e imploramos a vossa clemência; fazei que perseverem na sinceridade do vosso amor aqueles que fortalecestes pela infusão do Espírito Santo. Por Cristo, nosso Senhor.

AS.: Amém.

  1. AVISOS
  1. BENÇÃO FINAL
  2. PR. O senhor nos abençoe e nos guarde!

ASS. Amém!

  1. O senhor faça brilhar sobre nós a sua face e nos seja favorável!

ASS. Amém!

  1. O senhor dirija para nós o seu rosto e nos dê a paz.

ASS. Amém!

  1. Que o Senhor confirme a obra de nossas mãos, agora e para sempre. Amém!

ASS. Amém!

  1. Abençoe-nos o Deus todo-poderoso, Pai, Filho e Espírito Santo.

ASS. Amém!

  1. A alegria do Senhor seja nossa força vamos em paz e o Senhor nos acompanhe

 

  1. CANTO FINAL

Quando o dia da paz renascer,quando o sol da esperança brilhar, eu vou cantar.

Quando o povo nas ruas sorrir,e a roseira de novo florir, eu vou cantar.

Quando as cercas caírem no chão,quando as mesas se encherem de pão, eu vou cantar. Quando os muros que cercam os jardins,destruídos então os jasmins, vão perfumar.

 

Vai ser tão bonito se ouvir a canção,

cantada, de novo.

No olhar da gente a certeza do irmão.

reinado, do povo.

Quando as armas da destruição,destruídas em cada nação, eu vou sonhar.

E o decreto que encerra a opressão,assinado só no coração, vai triunfar.

Quando a voz da verdade se ouvir,e a mentira não mais existir, será enfim,tempo novo de eterna justiça,sem mais ódio, sem sangue ou cobiça, vai ser assim.

Vai ser tão bonito se ouvir a canção,cantada, de novo. No olhar da gente a certeza do irmão.reinado, do povo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui