Roteiro e reflexão celebração da Ascensão do Senhor

223

Elaborado por Vasco Lagares – Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano

 

Ascensão do Senhor

16 de maio de 2021

  1. REFRÃO

Por entre aclamações o Deus se elevou,

O Senhor subiu ao toque da trombeta. (Bis)

RITOS INICIAIS

  1. CANTO DE ENTRADA

R.: O SENHOR FOI PREPARAR UM LUGAR PARA NÓS NO CÉU./

  1. Ó varões galileus, que estais no céu a olhar? Aleluia! O Jesus que subiu ao céu deve, depois, voltar! Aleluia!/
  2. Entre cantos e hinos triunfais se eleva o Senhor! Aleluia! Cante a terra e o mar também: Cristo é vencedor! Aleluia!/
  3. Glorioso, à direita do Pai, sentou-se Jesus! Aleluia! Que nos foi preparar o céu, reino de eterna luz! Aleluia! /
  4. Ó Jesus, nosso Rei e Senhor, que subis para os céus! Aleluia! Não deixeis os cristãos a sós: dai-nos o dom de Deus! Aleluia!
  1. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO

PR: Na alegria do Cristo Ressuscitado nos reunimos em comunidade, para celebrar a Ascensão do Senhor. Façamos em nós o sinal de nossa fé: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

PR: A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.

Todos: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

  1. RECORDAÇÃO DA VIDA

O bem que fazemos na construção do Reino nos ajudarão a estarmos na presença do Cristo em sua glória. Assim, celebramos a Ascensão do Cristo que é a nossa ascensão. A Igreja, Corpo de Cristo, é convidada a elevar-se até a glória em que precedeu Jesus. “Vem e vede” (Jo 1,46). Comunicar encontrando as pessoas como e onde estão. Este é o tema para a celebração do 55º Dia Mundial das Comunicações Sociais, escolhido pelo Papa Francisco e que neste ano é celebrado hoje.

  1. ATO PENITENCIAL

PR: Para superar a cultura de morte é preciso o diálogo, a justiça e a paz. Jesus Ressuscitado nos garante esta vitória. Imploremos a misericórdia de

Deus pelas vezes que não testemunhamos o seu

Reino. Peçamos perdão.

PR: Senhor, que, subindo ao céu, nos presenteastes com o dom do Espírito, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós!

PR: Cristo, que dais vida a todas as coisas com a Vossa Palavra, tende piedade de nós.

  1. Cristo, tende piedade de nós!

PR: Senhor, Rei do universo e Senhor da história, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós!

PR: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

  1. Amém.
  1. GLÓRIA

Glória a Deus nas alturas, / e paz na

terra aos homens por Ele amados. /

Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo poderoso. /

nós vos louvamos, nós vos bendizemos, /

nós vos adoramos, nós vos glorificamos, /

nós vos damos graças por

vossa imensa glória. / Senhor Jesus Cristo,

Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro

de Deus, Filho de Deus Pai. / Vós que tirais

o pecado do mundo, tende piedade de

nós. / Vós que tirais o pecado do mundo,

acolhei a nossa súplica. / Vós que estais à

direita do Pai, tende piedade de nós. / Só

vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós

o Altíssimo, Jesus Cristo, / com o Espírito

Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

  1. ORAÇÃO DO DIA
  2. OREMOS: Ó Deus Todo-poderoso, a ascensão do vosso Filho já é nossa vitória. Fazei-nos exultar de alegria e fervorosa ação de graças pois, membros de seu Corpo, somos chamados na esperança a participar da sua glória. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

  1. PRIMEIRA LEITURA – At 1,1-11

Dos Atos dos Apóstolos

  1. SALMO – 46(47)

Refrão: Por entre aclamações Deus se elevou, o Senhor subiu ao toque da trombeta.

  1. SEGUNDA LEITURA – Ef 1,17-23

Da Carta de São Paulo aos Efésios

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia, aleluia, aleluia!

  1. Ide ao mundo, ensinai aos povos todos: convosco estarei todos os dias, até o fim dos tempos, diz Jesus.

 

  1. EVANGELHO – Marcos 16,15-20

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo a Comunidade de Marcos

  1. HOMILIA

Leia a reflexão sobre Marcos 16,15-20, texto de Itacir Brassiani.

A Igreja une à solenidade da ascensão de Jesus a Jornada Mundial das Comunicações Sociais, que neste ano tem como tema a questão da necessidade de produzir e veicular informações indo ao encontro das pessoas onde elas estão e como são. “Venham e vejam”, é o lema da reflexão, inspirada na resposta de Jesus aos dois discípulos de João Batista que perguntaram onde ele morava. O Papa Francisco pretende, com este tema, advertir para o risco de veicularmos informações construídas nos gabinetes e salas de redação, diante da tela do computador, sem nunca sair à rua e ir ao encontro das pessoas implicadas nas notícias.

A palavra ascensão lembra subida, elevação, movimento de distanciamento. Mas expressa também a ideia e a experiência de ser destacado/a, promovido/a, reconhecido, reabilitado/a. É este segundo o sentido original da boa notícia pregada pelos cristãos a respeito de Jesus de Nazaré. Proclamar a ascensão de Jesus é um modo de proclamar sua ressurreição, de afirmar que a pedra rejeitada pelos construtores foi considerada pedra principal, que aquele que fora eliminado como subversivo e maldito é a mais plena expressão de Deus e do ser humano.  Ele se tornou um projeto, uma ideia que não pode ser aprisionada.

Na carta aos cristãos de Éfeso, Paulo manifesta o desejo de que o Espírito Santo lhes revele Deus em sua amável nudez e os ajude a conhecê-lo em profundidade. Conhecer Deus assim como se revelou em Jesus de Nazaré significa reconhecer e assimilar a esperança para a qual Ele nos chama e a herança gloriosa que nos concede: continuar na história sua vida de profeta e servidor; ser no mundo seu corpo vivo, corpo sob o qual tudo o mais foi colocado e acima do qual nada existe, fora o próprio mistério de Deus. E isso sem fugir do mundo.

Mas nunca é demais lembrar que a vida cristã é muito mais que desejo ou contemplação extática da plenitude divina. A pergunta que os anjos fazem aos apóstolos inertes ressoa hoje aos nossos ouvidos e pede nossa resposta: “Por que vocês estão aí parados, olhando para o céu?” Os/as discípulos/as de Jesus Cristo não podemos permanecer na simples contemplação de alguém que subiu ao céu, mesmo que este alguém seja o próprio Jesus Cristo. A ascensão de Jesus não significa o fim da sua presença no meio de nós. Ao contrário, é o início da missão em seu nome, sob a guia do seu Espírito.

A Palavra de Deus deixa isso bastante claro. “Vão pelo mundo inteiro e anunciem a boa para todas as pessoas”. Por isso, podemos dizer que a liturgia da ascensão focaliza esta responsabilidade intransferível da comunidade cristã. Convictos/as de que o Crucificado foi exaltado, vencemos o medo e tornamo-nos testemunhas de Jesus Cristo no coração do mundo e nos pulmões da história. E sabemos que testemunhar Jesus Cristo significa afirmar e trilhar o caminho do amor serviçal e solidário, trazer no corpo as marcas de Jesus Cristo: amar como Jesus amou, sonhar como Jesus sonhou, pensar como Jesus pensou, viver como Jesus viveu.

A Palavra de Deus atesta também que a ascensão de Jesus Cristo não é um distanciamento em relação aos seus discípulos e discípulas, uma fuga do mundo e dos seus desafios. Antes, é a identificação plena de Jesus com Deus, permanecendo plenamente inserido no mundo. E isso não é algo que tem a ver apenas com Jesus de Nazaré: ele é o primogênito de muitos irmãos e irmãs, a cabeça de um corpo de muitos e variados membros. À glorificação do primogênito segue-se a honra dos seus irmãos e irmãs. À elevação da cabeça segue-se o reconhecimento da dignidade daqueles que realizam sua vontade.

No Brasil, a ascensão de Jesus também abre Semana de Oração pela Unidade dos Cristãos, que une fiéis católicos e evangélicos numa mesma e intensa prece. Para nós, cristãos católicos, já soou o tempo de deixar a lamentação e a negação das estatísticas que mostram a diminuição do percentual de católicos e o crescimento do índice de cristãos evangélicos. Do ponto de vista do Evangelho, não interessa o crescimento numérico deste ou daquele segmento cristão, mas que Jesus seja conhecido e seguido, que os cristãos deem testemunho de unidade e ajudem a construir uma sociedade fraterna e solidária.

Jesus de Nazaré, sacramento do abraço entre o céu e a terra: depois de termos acompanhado tua progressiva manifestação aos discípulos e receber a missão que confias a quem te segue, queremos hoje contemplar teu pleno reconhecimento pelo Pai. Ajuda-nos a entender que é porque abriste mão de todo e qualquer privilégio e te fizeste humano e igual ao mais humilde que teu nome é incomparável e diante de ti se dobram todos os joelhos. E ajuda-nos a compreender que é descendo, amando e servindo que seremos tuas testemunhas. E que nossa comunicação seja fruto do encontro e do conhecimento das pessoas e acontecimentos. Assim seja! Amém!

Fonte: www.cebi.org.br

  1. PROFISSÃO DE FÉ
  2. PRECES DA ASSEMBLÉIA
  3. Irmãos e irmãs, a Jesus Cristo, nosso único Mediador, que subiu hoje ao Céu e nos prometeu enviar o Espírito Santo, elevemos as nossas súplicas, dizendo:
  4. Cristo, elevado ao Céu, ouvi-nos.
  5. Por nossa Igreja, para que seja sinal de esperança para o mundo.
  6. Por nossa Comunidade, para que divulgue a mensagem do Ressuscitado, promovendo a vida e a solidariedade.
  7. Abençoai e protegei todos os missionários que sofrem perseguições, para que em Vós encontrem perseverança, sabedoria e fortaleza.
  8. Por cada um de nós, para que seja comunicador das mensagens do Cristo.

Preces espontâneas…

  1. PR. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo Ressuscitado.

Ass. Amém.

É o momento de trazer nossa oferta material para a manutenção das atividades de nossa comunidade

  1. CANTO DAS OFERTAS

REFRÃO: As nossas ofertas de vinho e de

pão / celebram a glória da Ressurreição, /

a glória da Ressurreição.

  1. O grão que morrera no seio do chão, /

renasce no trigo, tornando-se pão. / A uva

amassada, pisada, moída, / ressurge no vinho,

sustento da vida.

  1. O pão e o vinho são hoje memória / do novo

Cordeiro na sua vitória. / Sinais da Aliança

da terra e dos céus / no corpo e no sangue do

Filho de Deus.

  1. Ao Pai ofertamos também nossa vida, / o

chão que pisamos, a relva florida. / Os frutos

da terra, por nós cultivados, / se tornem o

corpo do Ressuscitado.

LOUVAÇÃO E AÇÃO DE GRAÇAS

  1. CONVITE À AÇÃO DE GRAÇAS

O Ministro deposita sobre o altar a Eucaristia enquanto a comunidade canta:

Irmãos e irmãs, Jesus nos diz: “como eu vos amei, assim também vós deveis amar-vos uns aos outros”. Pelo amor entre nós, todos conhecerão que somos discípulos de Jesus. Amemo-nos para que o Reino de Deus cresça entre nós.

Ass: Bendito e louvado seja Deus, Pai que tanto amor demonstra a todos nós.

  1. O Senhor esteja com vocês.

Ass. Ele está no meio de nós!

  1. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
  2. É nosso dever e nossa salvação!
  1. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS:

 

  1. Por ele, os filhos e as filhas da luz renascemos para uma vida sem fim, e as portas do reino se abrem para nós. Nossa morte foi redimida pela sua e, em sua ressurreição, ressurgiu a vida para todos.

Ass: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

  1. Nós te damos graças, ó Deus da vida, porque o teu Filho Jesus, crucificado e Ressuscitado, vencedor do pecado e da morte, subiu hoje ao mais alto dos céus.
  2. Glória a ti, Senhor, graças e louvor.
  3. Sentado à tua direita, mediador entre o céu e a terra, juiz do mundo e Senhor do universo, Jesus é a garantia de uma humanidade nova, libertada do mal e recriada à tua imagem e semelhança.
  4. Glória a ti, Senhor, graças e louvor.
  5. Esta comunidade aqui reunida em teu nome recorda a vitória de Jesus e te bendiz pela graça que nos é dada de participar do mistério da sua Páscoa.

Ass: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

  1. Derrama sobre nós o teu Espírito, e recebe o louvor de todo o universo e de todas as pessoas que te buscam.

Ass: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

PR.. Toda a nossa louvação chegue a ti em nome de Jesus, por quem oramos com as palavras que ele nos ensinou:

Ass: Pai Nosso…

  1. RITO DA COMUNHÃO

PR.. Relembrando de Jesus que, muitas vezes, reuniu-se com os seus para comer e beber, revelando que o teu reino havia chegado, nós também nos alegramos com Ele nesta mesa. E tomando o pão consagrado, acrescenta:

Assim disse Jesus: “Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e comerei com ele e ele comigo”. (Ap 3,20)

Ass:  Senhor, eu não sou digno …

  1. CANTO DE COMUNHÃO

O Senhor ressurgiu, — aleluia,  aleluia!

É  o  Cordeiro  Pascal, — aleluia,  aleluia!

Imolado por nós, — aleluia, aleluia!

É o Cristo Senhor, Ele vive e  venceu, aleluia!

  1. O Cristo  Senhor   ressuscitou,

a   nossa    esperança    realizou:

Vencida  a  morte  para  sempre,

triunfa   a   vida   eternamente!

  1. O Cristo remiu a seus irmãos,

ao  Pai  os  conduziu  por  sua  mão;

No Espírito Santo unida esteja

a  família  de  Deus  que  é  igreja!

  1. O Cristo, nossa Páscoa, se imolou,

seu sangue da morte nos livrou:

Incólumes o mar atravessamos,

e pra terra prometida caminhamos!

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
  2. Oremos. Deus Eterno e Todo-poderoso, que nos concedeis conviver na terra com as realidades do céu, fazei que nossos corações se voltem para o alto, onde está junto de vós a nossa humanidade. Por Cristo, nosso Senhor. Ass: Amém

RITOS FINAIS

  1. BENÇÃO FINAL
  2. O Senhor esteja convosco!

Ass:  ELE ESTÁ NO MEIO DE NÓS!

  1. Que o Deus todo-poderoso vos abençoe no dia de hoje, quando o seu Filho penetrou no mais alto dos céus, abrindo o caminho para a vossa ascensão.

Ass:  AMÉM.

  1. Deus vos conceda que o Cristo, assim como se manifestou aos discípulos após a ressurreição, vos apareça em sua eterna benevolência quando vier para o julgamento.

Ass:  AMÉM.

  1. E vós, crendo que o Cristo está sentado com o Pai em sua glória, possais experimentar a alegria de tê-lo convosco até o fim dos tempos, conforme sua promessa.

Ass:  AMÉM.

  1. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai, e Filho, e Espírito Santo.

Ass:  AMÉM.

PR.: Ide em paz, e o Senhor vos acompanhe!

Ass:  GRAÇAS A DEUS!

  1. CANTO FINAL

Novo sol brilhou, a vida superou sofrimento,

dor e morte, tudo enfim.

Nosso olhar se abriu, Deus mesmo se incumbiu

de tomar-nos pela mão assim.

O Deus de amor jamais se descuidou,

em seu vigor,    Jesus ressuscitou,

Estender a mão,abrir o coração,

acolher, compartilhar e perdoar.

É fazer o céu cumprir o seu papel

já na terra tem que vigorar.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui