Roteiro e reflexão 7º Domingo do Tempo Comum

349

23 de fevereiro de 2020

REFRÃO

Onde reina o amor, fraterno amor

Onde reina o amor, Deus aí, está.

Ani. Irmãos e irmãs, hoje somos chamados a manifestar em nossas ações cotidianas o amor de Deus. Somos chamados a santidade, imitando o nosso Deus, que é santo. E este amor a Deus deve ser refletido em nossa relação com os nossos irmãos e irmãs. Não é possível ser santo e não nos relacionarmos bem com aqueles que nos rodeiam. Pois, se Deus habita em nós, ele também habita em todos e todas que com os quais convivemos. E Jesus nos alerta sobre isto. Não devemos amar apenas quem nos ama. Isto qualquer pessoa faz. Enquanto filhos e filhas do Deus amor, manifestemos de forma universal o nosso amor. Cantemos:

RITOS INICIAIS

  1. CANTO DE ENTRADA

Eis me aqui Senhor (2x) Pra fazer Sua vontade , pra viver do Teu amor (2x). Eis me aqui Senhor.

O Senhor é meu Pastor e me conduz, por caminhos nunca vistos me enviou. Sou chamado a ser fermento, sal e luz e por isso aqui estou, aqui estou.

Ele pôs em minha boca uma canção, me ungiu como profeta e trovador, da história e da vida do meu povo e por isso respondi aqui estou.

  1. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO

PR: Acolhamos a presença amorosa de Deus em nosso meio. Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

ASS: Amém

PR: A graça e a paz de Deus nosso Pai, o amor de Jesus Cristo e a comunhão com o Espírito Santo estejam sempre convosco

ASS: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Quem preside faz a acolhida e em breves palavras introduz o sentido da celebração. Como a comunidade manifesta o amor de Deus neste mundo?

  1. ATO PENITENCIAL:
  2. Irmãos e Irmãs no dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, como manifestação total do amor de Deus, também nós somos convidados a construir uma sociedade baseada no amor. Como primeiro ato desta nova vida, reconheçamo-nos necessitados da misericórdia do Pai e peçamos o perdão, para que o amor se manifeste onde estivermos. (silêncio)
  3. Confessemos os nossos pecados:

ASS. Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor.

PR: Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Ass: Amém.

PR: Senhor, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós.

PR: Cristo, tende piedade de nós.

  1. Cristo, tende piedade de nós.

PR: Senhor, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós

 

  1. GLÓRIA

Glória a Deus nos altos céus, paz na terra a seus amados /A vós louvam rei celeste, os que foram libertados!

Glória a Deus, lá nos céus, e paz aos seus a–mém!

Deus e Pai nós vos louvamos, adoramos bendizemos

Damos glória ao vosso nome, vossos dons agradece|–mos

Senhor nosso Jesus Cristo, unigênito do Pai

Vós de Deus cordeiro santo, nossas culpas perdoa—ai!

Vós, que estais junto do Pai, como nosso intercessor

Acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamo—or!

Vós somente sois o santo, o altíssimo o Senhor

Com espirito divino de Deus Pai no esplendo—or!

5 ORAÇÃO DO DIA

PR.: OREMOS: Concedei, ó Deus Todo-poderoso, que, procurando conhecer sempre o que é reto, realizemos Vossa vontade em nossas palavras e ações. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. AT. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

  1. PRIMEIRA LEITURA -Lv 19,1-2.17-18) 6

Do livro do Levítico

  1. SALMO – 102(103)

Refrão: Bendize, ó minha alma, ao Senhor, pois ele é bondoso e compassivo.

  1. SEGUNDA LEITURA – (1Cor 3,16-23) 8

Da primeira carta de Paulo aos Coríntios

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO
  1. Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia,

Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia (bis)

É perfeito o amor de Deus em quem guarda sua Palavra!

  1. EVANGELHO – Mt 5,38-48

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

  1. HOMILIA\REFLEXÃO

A Realidade

Vi um cartaz assim: “Que Deus te dê em dobro tudo o que me desejares, de bom ou de mau”. Bem bolado, não?

A gente precisa saber se defender. É preciso conhecer as pessoas, ver as que merecem mesmo a nossa amizade. Não está certo?  Se o outro vem armado até aos dentes, você vai lhe oferecer flores?

A Palavra

Na primeira Leitura lemos um trecho do Levítico que comenta os mandamentos. Fala especificamente do amor ao próximo ou companheiro. Ainda no Primeiro Testamento, parece pensar apenas no compatriota.

Tendo visto a multidão sofredora que o seguia, Jesus dá suas orientações aos discípulos, a sua lei, o Sermão da Montanha. No trecho lido hoje ele diz como a sua lei vence a violência do nosso mundo.

A lei do talião, “tal a ofensa, tal a pena” dominava o pensamento antigo, a ponto de o ofendido, ferido ou prejudicado, não poder ficar em paz enquanto o ofensor não sofresse o mesmo. Isso aparece até nos Salmos. O 137 (136) termina desejando para os babilônios que alguém pegue seus bebês e lhes arrebentem a cabeça na pedra, como eles fizeram com as crianças de Judá. “Olho por olho, dente por dente!”.

A lei de Jesus é outra. Não se vence a violência com violência maior, mas com a capacidade de tolerar a violência e responder com o amor. Gandhi, um não cristão, entendeu. Disse: “Se responde com outra violência, você dá razão a eles. Se você resiste, sem praticar violência, chega o momento em que eles se envergonham do que fazem”.

Só assim a violência é vencida. Mas você vai precisar de muita força, uma violência contra si mesmo, para não entrar no jogo da violência.

O Mistério

Celebramos Aquele que foi coerente até à morte e morte de cruz. Ele anunciava o reinado de Deus, que não era a paz do reinado dos Césares, o Império romano, imposta pela força e pela submissão do mais fraco. Sabia que sua mensagem incomodava as autoridades romanas e judaicas, que queriam crucificá-lo. Por isso, não ficava à noite em Jerusalém, ia dormir fora da cidade.

Naquela noite entrou clandestinamente para celebrar a Páscoa com os discípulos. Queria dizer que sua morte violenta iria libertar, como a do cordeiro. Queria dizer que dava o sangue e se partia em pedaços para vencer a violência que oprime e divide.

Padre José Luiz Gonzaga do Prado

  1. PROFISSÃO DE FÉ
  2. PRECES DA ASSEMBLÉIA
  3. Rezemos ao Senhor para que nos dê a força de traduzir em obras de amor a palavra que acolhemos no coração. Rezemos Juntos:
  4. Senhor, atendei a nossa prece!
  5. Deus de amor, ampara a Vossa Igreja, dá força ao nosso Papa, Bispos, Padres, Religiosas e Religiosos, e todo o povo que escolhestes. Que em nossa caminhada neste mundo, sejamos obras de amor ao próximo, nós vos pedimos:
  6. Deus de amor, acompanhe a nossa Comunidade, nos ensine a amar sem medidas a todos os que buscam em nós conforto para sua lida cotidiana, nós vos pedimos:
  7. Deus de amor, nos colocamos a seu serviço, faz de nós instrumentos de Vosso Reino, para que sejamos presença viva onde a vida é ameaçada, e possamos cuidar de todas as suas criaturas, nós vos pedimos:
  8. Deus de amor, que nestes dias em que em nossas cidades se vive a festa do carnaval, os vossos filhos e filhas não se esqueçam do respeito, da tolerância, da solidariedade e cuidado que precisamos ter para com todos e toas, nós vos pedimos:

 

PR.: Ouvi, ó Deus de amor, as orações da Vossa Igreja e, mantendo-nos em comunhão convosco, alcancemos Vossas graças e bênçãos. Por Cristo, nosso Senhor.

AS.: Amém.

LOUVOR E AÇÃO DE GRAÇAS

Ani. Tendo participado da mesa da Palavra, participemos agora da mesa da Eucaristia, façamos nossa oferta material.

  1. CANTO DAS OFERTAS

1-Um coração para amar, pra perdoar e sentir, Para chorar e sorrir ao me criar Tu me deste. Um coração pra sonhar, inquieto e sempre a bater, Ansioso por entender as coisas que Tu disseste.

Eis o que eu venho te dar, eis o que eu ponho no altar, Toma Senhor que ele é Teu, meu coração não é meu. Eis o que eu venho te dar, eis o que eu ponho no altar, Toma Senhor que ele é Teu, meu coração não é meu.

2-Quero que o meu coração seja tão cheio de paz, / Que não se sinta capaz de sentir ódio ou rancor. Quero que a minha oração possa me amadurecer / Leve-me a compreender as consequências do amor.

  1. LOUVAÇÃO E AÇÃO DE GRAÇAS

Enquanto o Ministro da Sagrada Comunhão traz o Pão consagrado e coloca sobre o altar, pode se entoado um canto de louvação

Em seguida o Presidente continua..

  1. O Senhor esteja com vocês.
  2. Ele está no meio de nós!
  3. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
  4. É nosso dever e nossa salvação!
  5. Nós te damos graças, ó Deus da vida, porque neste santo dia de domingo nos acolhes na comunhão do teu amor e renovas nossos corações com a alegria da ressurreição de Jesus. Ele é a luz que nos faz caminhar neste mundo, dando o tempero que gera vida nova.
  6. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. A Criação inteira te bendiz pela ressurreição de Jesus que renova todas as coisas. Nele se renova a esperança de que a morte será vencida e de que o teu reino vai chegar em nossa terra. Por nossa ação cotidiana o Reino se faz presente, pois queremos ser instrumentos Teus para gerar vida junto aos nossos irmãos e irmãs.
  2. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. Por este sinal do Corpo do teu Filho, expressamos nosso desejo de transformar este mundo com Vosso amor, atendendo com mais fidelidade ao chamado para a missão que nos confiastes e invocamos sobre nós o teu Espírito. Apressa o tempo da vinda do teu reino e recebe o louvor de todo o universo e de todas as pessoas que te buscam.
  2. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. Ó! Senhor, olha com bondade e misericórdia a Igreja de Jesus Cristo, ajudai o Santo Padre o Papa N, o nosso Bispo N, os outros Bispos e servidores do Reino. Protege a nossa Diocese, Paróquia e Comunidades, daí força ao nosso Pároco N, e a todos os animadores das comunidades, pastorais, movimentos e serviços.
  2. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. Toda a nossa Louvação hoje chegue a Ti, em nome de Jesus, por quem oramos com as palavras que ele no ensinou:

Pai nosso…

AS.: Pai Nosso…

  1. RITO DE COMUNHÃO

 

MESC: Irmãos e irmãs, participemos da comunhão do Corpo do Senhor em profunda unidade com nossos irmãos que, neste dia, tomam parte da celebração eucarística, memorial vivo da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O Corpo de cristo será nosso alimento e vai nos fortalecer em nossa missão de sermos sal da terra e luz do mundo.

MESC: Felizes os convidados para a ceia do Senhor. Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.!

AS.: Senhor, eu não sou digno(a)…

  1. CANT0 DE COMUNHÃO
  2. A mesa tão grande e vazia de amor e de paz! De paz!/ Aonde há o luxo de alguns, alegria não há, jamais! A mesa da Eucaristia nos quer ensinar, a – a,

Que a ordem de Deus, nosso Pai, é o pão partilhar!

Refr.: Pão em todas as mesas,/ Da Páscoa nova certeza. /:A festa haverá/ e o povo a cantar, Aleluia.

  1. As forças da morte: a injustiça e a ganância de ter – de ter,/ Agindo naqueles que impedem ao pobre viver – viver,/ Sem terra, trabalho e comida, a vida não há, – não há/ Quem deixa e não age, a festa não vai celebrar.
  2. Irmãos, companheiros na luta, nos demos as mãos – as mãos,/ Na grande corrente do amor, na feliz comunhão! – irmãos!/ Unindo a peleja e a certeza, vamos construir aqui,/ Na terra o projeto de Deus: Todo povo a sorrir!
  3. Que em todas as mesas dos pobres haja festa de pão – de pão!/ E as mesas dos ricos não mais concentrando o pão – o pão!/ Busquemos aqui, nesta mesa do pão redentor – do céu,/ A força e a esperança que faz todo povo ser Deus!

 

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

PR.: OREMOS: Ó Deus Todo-poderoso, concedei-nos alcançar a salvação eterna por meio da escuta e prática da Vossa Palavra. Ensinai-nos a amar os nossos inimigos e guardai-nos contra a violência e a vingança. Por Cristo, nosso Senhor.

  1. Amém.

 

  1. AVISOS
  1. BENÇÃO FINAL
  2. O Senhor esteja convosco.
  3. Ele está no meio de nós.
  4. PR. Deus todo-poderoso, vos abençoe na sua bondade e infunda em vós a sabedoria da salvação.
  5. Amém.
  6. PR. Sempre vos alimente com os ensinamentos da fé e vos faça perseverar nas boas obras.
  7. Amém.
  8. Oriente, para ele os vossos passos, e vos mostre o caminho da caridade e da paz.
  9. Amém.
  10. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho e Espírito Santo.
  11. Amém.
  12. Glorificai o Senhor com vossa vida; ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
  13. Graças a Deus.
  1. CANTO FINAL
  2. Quando o dia da paz renascer. Quando o sol da esperança brilhar. Eu vou cantar! Quando o povo nas ruas sorrir, e a roseira de novo florir, eu vou cantar!

Ref.: /:Vai ser tão bonito se ouvir a canção, cantada de novo. No olhar da gente a certeza do irmão. Reinado do povo.:/

  1. Quando as cercas caírem no chão. Quando as mesas se encherem de pão, eu vou cantar! Quando os muros que cercam os jardins, destruídos, então os jasmins vão perfumar.
  2. Quando as armas da destruição, destruídas em cada nação, eu vou cantar! E o decreto que encerra a opressão, assinado só no coração, vai triunfar.
  3. Quando a voz da verdade se ouvir, e a mentira não mais existir, será, enfim, tempo novo de eterna justiça. Sem mais ódio, sem sangue ou cobiça: Vai ser assim!

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui