Roteiro e reflexão 27º Domingo do Tempo Comum

220

Elaborado por Vasco Lagares – Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano

 

27º DOMINGO – 04 de outubro de 2020 – Ano A

  1. REFRÃO MEDITATIVO

Louvarei a Deus, seu nome bendirei

Louvarei a Deus, Ele é minha salvação

RITOS INICIAIS

  1. CANTO DE ABERTURA
  2. No meu coração sinto o chamado,

fico inquieto: preciso responder.

Então pergunto: “Mestre, onde moras?”

E me respondes que preciso caminhar.

Seguindo teus passos, fazendo a história,

construindo o novo no meio do povo.

Seguindo teus passos, fazendo a história,

construindo o novo no meio do povo.

Mestre, onde moras? Mestre onde estás?

No meio do povo. Vem e verás.

No meio do povo. Vem e verás!

  1. Te vejo em cada rosto das pessoas,

tua imagem me anima e faz viver.

No coração amigo que se doa,

no sonho do teu Reino acontecer.

Teu Reino é justiça, é paz, é missão,

é a boa nova da libertação!

Teu Reino é justiça, é paz, é missão,

é a boa nova da libertação!

 

  1. Tua Palavra abre novos horizontes,

é convite de serviço aos irmãos.

Me consagra, me envia a assumir

teu projeto nesta vida, neste chão.

Meu sim é resposta, é meu jeito de amar,

estar com teu povo, contigo morar.

Meu sim é resposta, é meu jeito de amar,

estar com teu povo, contigo morar.

  1. SAUDAÇÃO

Pres. Invoquemos a Santíssima Trindade e façamos o sinal da nossa fé: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

T: Amém.

Pres. A graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai, e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.

T: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo

  1. RECORDAÇÃO DA VIDA

O(a) animador(a), com breves palavras, acolhe as pessoas, introduz o sentido do domingo. Estamos iniciando o Mês Missionário. Este ano o tema escolhido “A vida é missão” e o lema “Eis-me aqui, envia-me” (Is 6,8) irão nos ajudar no crescimento da consciência missionária. Trazemos para esta celebração, as diversas ações, grupos e movimentos missionários que existem em nossa comunidade. Lembrar os desafios que a comunidade enfrenta.

  1. ATO PENITENCIAL

Pres. No dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados a morrer ao pecado e ressurgir para uma vida nova. Reconheçamos ser pecadores e invoquemos com confiança a misericórdia do Pai.

Pres: Confessemos os nossos pecados.

Ass: Confesso a Deus todo-poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos anjos e santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, nosso Senhor.

Pres: Deus todo-poderoso tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Ass: Amém.

Pres: Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

Pres: Cristo, tende piedade de nós.

Ass: Cristo, tende piedade de nós.

Pres: Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

  1. GLÓRIA

Glória a Deus nas alturas, / e paz na terra aos homens por Ele amados. /

Senhor Deus, Rei dos céus, Deus Pai todo poderoso. /

nós vos louvamos, nós vos bendizemos, / nós vos adoramos,

nós vos glorificamos, / nós vos damos graças por vossa imensa glória. /

Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito, / Senhor Deus, Cordeiro de Deus,

Filho de Deus Pai. / Vós que tirais o pecado do mundo, tende piedade de nós. /

Vós que tirais o pecado do mundo, acolhei a nossa súplica. /

Vós que estais à direita do Pai, tende piedade de nós. /

Só vós sois o Santo, só vós, o Senhor, / só vós o Altíssimo, Jesus Cristo, /

com o Espírito Santo, na glória de Deus Pai. Amém.

  1. ORAÇÃO DO DIA

Pres. Oremos (silêncio): Ó Deus eterno e todo-poderoso, que nos concedeis no vosso imenso amor de Pai mais do que merecemos e pedimos, derramai sobre nós a vossa misericórdia, perdoando o que nos pesa na consciência e dando-nos mais do que ousamos pedir. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

Ouçamos, a Palavra do Senhor que nos chama para a missão.

  1. PRIMEIRA LEITURA – Is 5,1-7

Da profecia de Isaias

  1. SALMO – 79(80)

Refrão: A vinha do Senhor é a casa de Israel.

  1. SEGUNDA LEITURA – Fl 4,6-9

Da Carta de São Paulo aos Filipenses.

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Refrão: Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia! (Bis)

Eu vos escolhi, foi do meio do mundo a fim de que deis um fruto que dure. Eu vos escolhi foi do meio do mundo. Amém! Aleluia, aleluia!

  1. EVANGELHO – Mt 21,33-43

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo a Comunidade de Mateus

  1. HOMILIA

A Realidade

Volta e meia estamos tendo notícias de assassinato de pessoas que lutam pelo bem. É uma juíza que tem coragem de condenar policiais criminosos, são ambientalistas ou lutadores em favor do povo pobre no Pará… As coisas se ligam porque os criminosos de boné ou de camisa engomada e gravata querem sempre e, muitas vezes, conseguem ficar impunes.

A consequência é que a sociedade acaba sendo governada pelo crime organizado. E fica difícil mudar isso, porque a lei máxima, apregoada aos quatro ventos, é a competição, a lei do mais forte. Como desatar esse nó? Quem propõe como norma o amor ao próximo, o respeito à natureza e aos direitos dos mais fracos está sempre ameaçado de morte.

A Palavra

Na Primeira Leitura de hoje, preparando o Evangelho, o poema fala de um vinhedo bem cultivado, do qual muito se esperava, mas que nenhum fruto verdadeiro produziu. Essa lavoura é o povo que tem uma religião de bela aparência, mas não pratica a justiça e o direito, os frutos que Deus dele espera.

No Salmo, que faz eco à Leitura, reconhecemos que somos a videira de Deus, a planta que não está produzindo os frutos que ele espera.

Jesus acaba de expulsar o comércio do recinto do Templo. Os chefes, os sumos sacerdotes, questionam Jesus. É a eles que ele fala e, ao lado deles, aos fariseus. Esses, no contexto da comunidade de Mateus, representam o grupo dos que eram os inimigos da comunidade.

A comparação fala dos profetas, que sempre cobraram em nome de Deus a coerência, a justiça, o direito, e foram perseguidos. Isso aconteceu na história do povo e ainda acontece. Por fim Deus manda o próprio filho que também é perseguido e rejeitado. Crucifixão era uma maldição e, por isso, tinha de ser executada fora da cidade santa. Hoje não estaríamos fazendo o mesmo com Jesus?

O Mistério

Por que ele condenou a transformação do Templo em comércio, os chefes da religião decidiram matá-lo. Ele, que, por prudência, passava as noites fora da cidade, vai celebrar a páscoa com os discípulos.

Teme e sabe o que vai lhe acontecer, por isso faz do pão sinal de sua vida entregue e do vinho, o sangue, sinal da morte que livra do egoísmo. Depois manda que a gente faça o mesmo que ele fez. O gesto nós repetimos.

Padre José Luiz Gonzaga do Prado – Pároco de Santa Rita em Nova Resende – Diocese de Guaxupé

  1. CREIO
  1. PRECES DA COMUNIDADE

Pres. Irmãos e irmãs, apresentemos com confiança as nossas orações e súplicas, reconhecendo que ainda não estamos dando os frutos que o Senhor espera de nós: Peçamos com fé:

  1. Senhor, escutai a nossa prece!

1)  Fortalecei o espírito missionário do Papa Francisco para que continue nos animando, com seu testemunho profético, a sermos Igreja em saída. Nós vos pedimos.

  1. Iluminai Senhor, os missionários e missionárias presentes em diferentes lugares do mundo para que continuem, com ardor, a gritar o Evangelho com a vida. Nós vos pedimos.
  2. Ajudai Senhor os missionários e missionárias a cultivar, continuamente, a sensibilidade para escutar Tuas palavras e as anunciar com fidelidade aos seus irmãos e irmãs. Nós vos pedimos.
  3. Que nosso país encontre o caminho da justiça e da democracia, por meio de cidadãos comprometidos com a verdade, a defesa da vida, nós vos pedimos.

Pres. Concluamos, rezando juntos a oração do mês missionário:

  1. Deus Pai, Filho e Espírito Santo, / fonte transbordante da missão, / ajuda-nos a compreender que a vida é missão, / dom e compromisso. / Que Maria, nossa intercessora na cidade, / no campo, na Amazônia e em toda parte, / ajude, cada um de nós, / a ser testemunhas proféticas do Evangelho, / numa Igreja sinodal / e em estado permanente de missão. / Eis-me aqui, Senhor, envia-me! Amém.

É o momento de trazer nossa oferta material para a manutenção das atividades de nossa comunidade

  1. CANTO DAS OFERTAS
  2. Muitos grãos de trigo se tornaram pão.

Hoje são teu Corpo, ceia   e comunhão.

Muitos  grãos de trigo se tornaram pão.

 

Toma, Senhor, nossa vida em ação,

para mudá-la em fruto e missão!

Toma, Senhor, nossa vida em ação,

para mudá-la em missão.

 

  1. Muitos cachos de uva se tornaram vinho.

Hoje são teu Sangue, força no caminho.

Muitos cachos de uva se tornaram vinho.

 

  1. Muitas são as vidas feitas vocação

hoje oferecidas em   consagração.

Muitas são as vidas feitas vocação.

AÇÃO DE GRAÇAS

  1. CONVITE À AÇÃO DE GRAÇAS

Pres. Renovados pelo Deus-Palavra, acolhamos agora o Deus-Alimento, força de nossa caminhada. O Ministro deposita sobre o altar a Eucaristia enquanto a comunidade canta:

Pres. O Pai enviou-nos o seu Filho Unigênito para a nossa salvação.

Pres. O Senhor esteja com vocês.

  1. Ele está no meio de nós!

Pres. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

  1. É nosso dever e nossa salvação!

 

  1. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

Pres. Nós vos damos graças, ó Pai, por toda a vossa criação e por tudo e que fizeste no meio de nós, por intermédio de Jesus Cristo, vosso filho e nosso irmão, que nos deste como imagem viva do vosso amor e de vossa bondade. E neste dia santo de domingo nos acolhes na comunhão do teu amor e renovas nossos corações com a alegria da ressurreição de Jesus.

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

Pres. Esta comunidade aqui reunida recorda a vitória sobre a morte, escutando a tua Palavra e repartindo o pão, na esperança de ver o novo céu e a nova terra, onde não haverá fome, nem morte, nem dor, e onde viveremos na plena comunhão do teu amor, como missionários e missionárias em defesa da vida.

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

Pres. Por este sinal do corpo do teu Filho, expressamos nosso desejo de corresponder

com mais fidelidade à missão que nos deste e invocamos sobre nós o teu Espírito. Apressa o tempo da vinda do teu reino, e recebe o louvor de todo o universo e de todas as pessoas que te buscam.

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

Pres. Lembrai-vos, ó Pai, dos nossos irmãos e irmãs que morreram na paz de Cristo, e de todos os falecidos, cuja fé só vós conheceste; acolhei-os junto a vós, na luz da vossa infinita misericórdia.

T: Glória a ti, Senhor, graças e louvor.

Pres. Ó Deus, criador do céu e da terra, os nossos louvores e as nossas preces cheguem a vós pelas mãos daquele que é nosso único mediador, Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém!

Pres. Aceitai, Deus de amor, fonte de paz e da verdadeira piedade, os louvores que hoje Vos oferecemos. Que eles sirvam para render-Vos a devida homenagem e reforçar em nós os laços de Vossa amizade conosco. Assim, unimos a nossa prece à prece de Jesus, rezando como ele nos ensinou:

Pai nosso… pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

  1. RITO DA COMUNHÃO

Pres. Relembrando de Jesus que, muitas vezes, reuniu-se com os seus para comer e beber, revelando que o teu reino havia chegado, nós também nos alegramos com Ele nesta mesa. E tomando o pão consagrado, acrescenta:

Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais terá sede.

Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo!

  1. Senhor, eu não sou digno …

 

20.. CANTO DE COMUNHÃO

1)Vejam, eu andei pelas vilas,

apontei as saídas,

Como o Pai me pediu,

Portas, eu cheguei para abrí-las

Eu curei as feridas como nunca se viu

 

Por onde formos também nós,

Que brilhe a tua luz

Fala Senhor a nossa voz,

em nossa vida

Nosso caminho então conduz,

queremos ser assim

Que o Pão da Vida nos revigore

no nosso Sim!

 

2) Vejam, fiz de novo a leitura,

das raízes da vida

Que meu Pai vê melhor.

Luzes, acendi com brandura,

para ovelha perdida

Não medi meu suor.ref..

 

3) Vejam, procurei bem aqueles,

que ninguém procurava

E falei de meu Pai.

Pobres , a esperança que é deles,

eu não quis ser escravo

De um poder que retrai.ref…

 

4) Vejam, semeei consciência,

nos caminhos do povo

Pois o Pai quer assim

Tramas, enfrentei prepotência,

dos que temem o novo

Qual perigo sem fim .ref..

 

5) Vejam, eu quebrei as algemas,

levantei os caídos

Do meu Pai fui as mãos

Laços, recusei os esquemas,

eu não quero oprimidos /

Quero um povo de irmãos.ref.

 

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

Pres. Possamos, ó Deus onipotente, saciar-nos do pão celeste e inebriar-nos do vinho sagrado, para que sejamos transformados naquele que agora recebemos. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém

RITOS FINAIS

  1. AVISOS
  2. BENÇÃO

Pres. O Senhor esteja convosco!

  1. Ele está no meio de nós!

Pres. Abençoe-nos Deus Todo-poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo.

  1. Amém.

Pres. Vivendo o amor fraterno, ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

  1. Graças a Deus.
  1. CANTO FINAL

O Deus que me criou, me quis me consagrou

Para anunciar o seu amor.(bis)

 

Eu sou como chuva em terra seca (bis)

Pra saciar, fazer brotar

Eu vivo pra amar e pra servir! (bis)

 

É missão de todos nós. Deus chama, eu quero ouvir a sua voz! (bis)

 

Eu sou como a flor por sobre o muro (bis)

Eu tenho mel, sabor do céu

Eu vivo pra amar e pra servir. (bis)

 

Eu sou como estrela em noite escura. (bis)

Eu levo a luz sigo a Jesus.

Eu vivo pra amar e pra servir! (bis)

 

Eu sou como a abelha na colmeia; (bis)

Eu vou voar, vou trabalhar,

Eu vivo pra amar e pra servir. (bis)

 

Eu sou, sou profeta da verdade. (bis)

canto a justiça e a liberdade.

Eu vivo para amar e pra servir! (bis)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui