Roteiro e reflexão 25º Domingo do Tempo Comum

475

Elaborado por Vasco Lagares – Diocese de Itabira e Cel. Fabriciano.

25º DOMINGO – 20 de setembro de 2020 – Ano A

  1. Refrão meditativo

Escuta, Israel, Jave teu Deus, quer falar.(2x)

 

Fala, Senhor Jave , Israel quer te escutar  

Fala, Senhor Jave, Israel quer te escutar.ref..

 

RITOS INICIAIS

  1. CANTO DE ABERTURA 

. Toda bíblia é comunicação

De um Deus amor, de um Deus irmão.

É feliz quem crê na revelação,

Quem tem Deus no coração.

 

Jesus cristo é a palavra,

Pura imagem de Deus pai.

Ele é vida e verdade, a suprema caridade.

 

Os profetas sempre mostram

a verdade do senhor.

Precisamos ser profetas

para o mundo ser melhor.

 

Nossa fé se fundamenta

na palavra dos apóstolos.

João, mateus, marcos e lucas

transmitiam essa fé.

 

Vinde a nós, ó santo espírito,

vinde nos iluminar.

A palavra que nos salva,

nós queremos conservar.

 

  1. SAUDAÇÃO

Pres. Iniciemos em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

  1. Amém

Pres. O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo, estejam convosco. T: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo

  1. RECORDAÇÃO DA VIDA

O(a) animador(a), com breves palavras, acolhe as pessoas, introduz o sentido do domingo. Lembrar que estamos no mês da Bíblia e que a Palavra de Deus nos orienta em nossa caminhada. Trazer a realidade da comunidade local.

  1. ATO PENITENCIAL

Pres. Em Jesus Cristo, o Justo, que intercede por nós e nos reconcilia com o Pai, abramos o nosso espírito ao arrependimento. Reconhecendo-nos pecadores, peçamos ao Senhor que tenha piedade de nós.

Pres. Senhor, que viestes, não para condenar, mas para perdoar, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós.

Pres. Cristo, que vos alegrais pelo pecador arrependido, tende piedade de nós.

  1. Cristo, tende piedade de nós.

Pres. Senhor, que muito perdoais a quem muito ama, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós.

Pres. Deus todo-poderoso, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

  1. Amém.

 

  1. GLÓRIA

Glória, glória, anjos nos céus

cantam todo seu amor

E na terra homens de paz:

(Deus merece o louvor.)3x só no final

 

1) Deus é Pai, nós vos louvamos,

adoramos, bendizemos,

Damos glória ao vosso nome,

nossos dons agradecemos.ref…

 

2) Senhor Nosso Jesus  Cristo,   

unigênito do Pai.

Vós, de Deus Cordeiro  Santo  

nossas culpas,   perdoai.ref..

 

3.Vós que estais junto do Pai

como nosso intercessor

acolhei nossos pedidos

atendei nosso clamor!.ref…

 

4 Vós somente sois o Santo,

o Altíssimo Senhor,

O   Espírito  Divino     

de Deus Pai o esplendor.ref..

 

  1. ORAÇÃO DO DIA

Pres. Oremos (silêncio): Ó Pai, que resumistes toda a lei no amor a Deus e ao próximo, fazei que, observando o vosso mandamento, consigamos chegar um dia à vida eterna. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. T. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

Ao sermos chamados para trabalhar na vinha, seu dono, o Senhor, garante nosso sustento. Ele nos sacia e fortalece-nos para o trabalho evangelizador.

Entrada da Bíblia

A comunidade   dança alegre canta,

acolhendo agora a palavra santa(bis)

 

1- A palavra vem,   vem nos libertar,   

como um vento forte a nos arrastar.

A palavra vem,  fala ao coração,  

Chega como a chuva, fecundando o chão.ref…

 

2- Bem aventurado, e povo feliz,   

quem vive a palavra  e a Deus bendiz

Vamos caminhar,   irmãs e irmãos,   

já chegou a hora      da nossa missão.ref…

 

  1. PRIMEIRA LEITURA – Is 55,6-9

Da profecia de  Isaías.

 

  1. SALMO –  Sl 144 (145)

O Senhor está perto da pessoa que o invoca!

 

  1. SEGUNDA LEITURA –  Fl 1,20-24.27

Da Carta de São Paulo aos Filipenses. 

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Refrão: Aleluia, Aleluia, Aleluia, Aleluia! (Bis)

Vinde abrir o nosso coração, Senhor; / ó Senhor, abri nosso coração / e, então, do vosso Filho a Palavra / poderemos acolher com muito amor!

  1. EVANGELHO –  Mt 20,1-16

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo a Comunidade de Mateus

  1. HOMILIA 

Queridos irmãos e irmãs.

Certamente, essa parábola serviu para clarear a posição que vocês e Jesus tomaram com relação aos não judeus. Na Bíblia, “a vinha” é uma imagem clássica do povo de Deus e da obra que Deus faz conosco (cf. Isaías 5,1-7 e Salmo 80,9-17).

Nessa história, os “operários que trabalharam o dia inteiro na lavoura” significam o povo judeu. Os trabalhadores da última hora são os não judeus, os povos (goyim) da gentilidade. Para nós, que vivemos num país no qual ainda é normal o trabalho diário dos assalariados volantes (boias-frias), parece familiar o fato de Jesus e vocês descreverem a realidade social da Judeia como sendo de desemprego e de trabalhos por contrato diário.

Conhecemos ainda hoje essa realidade de pessoas sem emprego, aceitando qualquer oferta que lhe façam. Diferente é esse patrão que age completamente fora das leis sociais vigentes em qualquer sociedade. A maioria dos comentadores chama essa história de “parábola dos trabalhadores da vinha”. No entanto, um título mais adequado seria “Parábola do patrão original ou diferente”.

A parábola é sobre o comportamento dele. Todo o problema para os primeiros contratados é que ele, além de começar a pagar pelos últimos, iguala-os aos primeiros que suportaram o peso e o calor do dia. A parábola é sobre “os direitos” iguais que todas as pessoas têm diante do convite de Deus e da recompensa que ele promete.

O que os judeus retratados na parábola não aceitam é que “ele os equiparou a nós”. No tempo de Mateus, o Talmud já dizia: “um pagão que retorna ao Senhor é maior do que o sumo-sacerdote do santuário” (*).

O judaísmo oficial aceitava com tranquilidade que os pagãos podem ser salvos, e que Deus oferece os bens da Aliança a todas as pessoas e povos. Isso, os rabinos aceitavam sem problemas. Mas, não podiam compreender a igualdade de condições entre Israel e os gentios. Paulo e até mesmo Jesus diziam claramente: “primeiramente os judeus e depois os outros” (Marcos 7,27; Romanos 1,16; 2,9).

Aqui, no entanto, Jesus dá um passo adiante e diz que Deus começa pelos últimos e dá a estes o mesmo que dá aos primeiros. Os rabinos diziam que, “quando Deus promulgou a Torá, ofereceu-a a todas as nações (goyim) e somente Israel a aceitou. Por isso, cada israelita tem tanta importância para Deus quanto têm todos os outros povos do mundo. Todos os dias, o judeu piedoso deve agradecer a Deus por não ter nascido ‘goyim’. Só Israel foi capaz de observar a lei”.

Na própria tradição bíblica, os profetas já insistiam na universalidade do amor de Deus e na igualdade de todos perante o Senhor. Em nome de Deus, o profeta Amós chega a dizer: “Por acaso, não sois vós para mim, filhos de Israel, iguais aos filhos dos etíopes? Acaso, não fiz subir Israel da terra do Egito, do mesmo modo como fiz os filisteus virem de Caftor e os sírios de Quir?” (Amós 9,7). De fato, “Deus não faz acepção de pessoas e não aceita suborno” (Deuteronômio 10,17).

Hoje, numa sociedade marcada pela desigualdade social, essa parábola não deixa de lembrar-nos que Deus propõe igualdade. O fato é que, mesmo no plano social, se não se aceita partir dos últimos e dar a eles tanto quanto aos que são considerados “primeiros”, nunca haverá justiça. Pergunta à comunidade de Mateus: Será que vocês se inspiraram numa parábola do Talmud e a puseram na boca de Jesus, o rabino da comunidade cristã?

Marcelo Barros

  1. CREIO

 

  1. PRECES DA COMUNIDADE

Pres. Irmãos e irmãs, apresentemos com confiança as nossas orações e súplicas. Peçamos com fé:

  1. Senhor, escutai a nossa prece!

1)  Por nossa Comunidade reunida na fé e devoção, no amor e temor de Deus, suplique sempre ao Senhor que envie mais operários, vocações santas, para servir o Reino, peçamos com fé.

  1. Senhor nosso Deus, vosso Filho nos ensinou que os últimos serão os primeiros, e os primeiros serão os últimos; concedei-nos a graça de vivermos humildemente nossa vocação na Igreja, Peçamos com fé.
  2. Senhor nosso Deus, fortalecei o Papa, os Bispos e padres em seu trabalho pastoral, que estejam sempre ao lado dos que se encontram nas margens do caminho, peçamos com fé.
  3. Que nosso país encontre o caminho da justiça e da democracia, por meio de cidadãos comprometidos com a verdade, a defesa da vida, frutos da Palavra de Cristo, peçamos com fé.

 

Pres. Acolhei, Pai bondoso, as preces que Vos apresentamos. Por Cristo, nosso Senhor.

  1. Amém.

É o momento de trazer nossa oferta material para a manutenção das atividades de nossa comunidade

  1. CANTO DAS OFERTAS

1- Cada  vez  que  eu  venho  para  te  falar, 

    na  verdade  eu  venho  para  te   escu tar.

    Fala-me  da  Vi  da,  preciso  te  escutar! 

    Fala  da  Verdade  que   vai   me   líbertar!

 

2- Cada  vez  que  eu  venho  para  oferecer,

    na   verdade  eu   venho   para   rece ber.

    Dá-me o pão da Vida, que vai me alimentar!

    Dá-me a água viva, que vai me saciar!

AÇÃO DE GRAÇAS

  1. CONVITE À AÇÃO DE GRAÇAS

Pres. Renovados pelo Deus-Palavra, acolhamos agora o Deus-Alimento, força de nossa caminhada. O Ministro deposita sobre o altar a Eucaristia enquanto a comunidade canta:

Pres. O Pai enviou-nos o seu Filho Unigênito para a nossa salvação. 

Pres. O Senhor esteja com vocês.

  1. Ele está no meio de nós!

Pres. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

  1. É nosso dever e nossa salvação!

 

  1. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS

 

Pres. Nós vos damos graças, ó Deus da vida, porque neste tempo de missão, inspirais com a força do Espírito Santo nosso agir cristão.

  1. Suba a Vós nosso louvor, Deus eterno, fonte de amor! 

Pres. Nós vos damos graças, ó Pai, pois pela força do Teu Espírito Santo, inspirai as pessoas a responderem com a vida aos apelos de Tua Palavra conservada na Bíblia Sagrada e anunciada em cada celebração, e pedimos coragem para assumir o seguimento a Jesus.

  1. Suba a Vós nosso louvor, Deus eterno, fonte de amor! 

Pres. Esta comunidade aqui reunida te louva ó Pai porque vós vos revelais na fragilidade deste Pão, sinal sensível de vossa presença e sacramento de nossa comunhão fraterna, tornando-vos alimento que nos fortalece nas estradas da vida rumo ao céu.

  1. Suba a Vós nosso louvor, Deus eterno, fonte de amor! 

Pres. Nós Te bendizemos, pois pela Palavra do Evangelho, Vós reunistes em uma mesma Igreja, todos os povos, línguas e nações. Pelo Espírito que vivifica e fortalece essa mesma Igreja, Ele não deixa de congregar na unidade todos os seres humanos.

  1. Suba a Vós nosso louvor, Deus eterno, fonte de amor! 

Pres. Aceitai, Deus de amor, fonte de paz e da verdadeira piedade, os louvores que hoje Vos oferecemos. Que eles sirvam para render-Vos a devida homenagem e reforçar em nós os laços de Vossa amizade conosco. Assim, unimos a nossa prece à prece de Jesus, rezando como ele nos ensinou:

Pai nosso… pois vosso é o reino, o poder e a glória para sempre.

  1. RITO DA COMUNHÃO 

Pres. Relembrando de Jesus que, muitas vezes, reuniu-se com os seus para comer e beber, revelando que o teu reino havia chegado, nós também nos alegramos com Ele nesta mesa. E tomando o pão consagrado, acrescenta:

Quem vem a mim nunca mais terá fome e o que crê em mim nunca mais terá sede.

Eis o Cordeiro de Deus, aquele que tira o pecado do mundo!

  1. Senhor, eu não sou digno …

 

20.. CANTO DE COMUNHÃO

É comunhão, é comunhão

Em Jesus Cristo por inteiro neste pão

É comunhão, é comunhão

Com sua Igreja Missionária em ação.

 

1-É comunhão com o Deus vivo e verdadeiro

Que dia a dia vem em nossa direção/

Com Ele vamos revelar ao mundo inteiro/

Os horizontes da Evangelização.

                                                   

2- É comunhão com o projeto de Jesus/

A Boa Nova que Ele veio revelar/

Que por amor aceitou morrer na cruz/

Para o seu povo oprimido resgatar.

                                                  

3- É comunhão com o Espírito de Amor

Protagonista da Evangelização/

Ele revela os segredos do Senhor/

E guia a Igreja nos caminhos da missão.

 

4- É comunhão com a história do meu povo

Que sofre, chora e não cansa de esperar/                               

Da velha terra vai nascer um mundo novo

Nesta esperança vamos juntos comungar.

 

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

Pres. Ó Deus, auxiliai sempre os que alimentais com o vosso sacramento, para que possamos colher os frutos da redenção na liturgia e na vida.Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém

RITOS FINAIS

  1. AVISOS
  2. BENÇÃO 

Pres. O Senhor esteja convosco!

  1. Ele está no meio de nós!

Pres. Abençoe-nos Deus Todo-poderoso: Pai e Filho e Espírito Santo.

  1. Amém.

Pres. Vivendo o amor fraterno, ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

  1. Graças a Deus.

 

  1. CANTO FINAL

 

A Bíblia é a Palavra de Deus

semeada no meio do povo.

Que cresceu, cresceu

e nos transformou,

ensinando-nos viver um mundo novo.

 

1- Deus é bom , nos ensina a viver,

nos revela o caminho a seguir.

Só no amor partilhando seus dons,

sua presença iremos sentir.

 

2- Somos povo, o povo de Deus

e formamos o Reino de irmãos.

E a Palavra que é viva nos guia

e alimenta a nossa união.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui