Roteiro e reflexão 22º Domingo do Tempo Comum

394

Elaborado por Vasco Lagares – Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano

 

29 de agosto 2021

RITOS INICIAIS

A Comunidade pode trazer para esta liturgia os símbolos deste mês, onde celebramos as Vocações.Hoje, vamos nos alegrar com as catequistas e os catequistas.

 

  1. REFRÃO MEDITATIVO

Eis-me aqui, Senhor!

Eis-me aqui, Senhor!

Pra fazer tua vontade,

pra viver do teu amor

Pra fazer tua vontade,

pra viver do teu amor

Eis-me aqui, Senhor!

 

  1. CANTO DE ENTRADA

O Senhor necessitou de braços

Para ajudar a ceifar a messe

E eu ouvi seus apelos de amor

Então respondi: aqui estou! Aqui estou!

 

Eu vim para dizer que eu quero te seguir

Eu quero viver com muito amor o que aprendi

 

Eu vim para dizer que eu quero te ajudar

Eu quero assumir a tua cruz e carregar

 

Eu vim para dizer que eu vou profetizar

Eu quero ouvir a tua voz e propagar.

 

Eu vim para dizer que eu vou te acompanhar

E com meus irmãos um mundo novo edificar

  1. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO

PR.O Senhor nos chamou e nos reuniu com o seu amor. Iniciemos este nosso encontro de irmãos. Iniciemos Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Ass. Amém.

PR.O Deus da esperança, que nos cumula de toda alegria e paz em nossa fé, pela ação do Espírito Santo, esteja convosco.

Ass.Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

  1. RECORDAÇÃO DA VIDA

Hoje, Jesus nos ensina que não é possível desligar a fé da nossa vida. Se no inicio a Lei foi uma pedagoga eficaz, com o passar do tempo, muitos impuseram um seguimento tão rígido da Lei e tão desconectado da vida, que a maioria das pessoas eram consideradas pecadoras. A Liturgia de hoje nos diz que é necessário ouvir a Palavra de Jesus e coloca-la em prática, ou seja, ouvir e viver aquilo que Ele viveu e ensinou.

  1. ATO PENITENCIAL

PR.Para nós, cristãos, não basta ter informações sobre Jesus, é preciso viver o seu evangelho na prática do dia a dia. Por isso, de coração contrito e humilde, aproximemo-nos do Deus justo e santo, para que tenha piedade de nós, pecadores.(silencio)

PR.Confessemos os nossos pecados:

Ass: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor.

PR: Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Ass: Amém.

PR: Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

PR: Cristo, tende piedade de nós.

Ass: Cristo, tende piedade de nós.

PR: Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

  1. GLÓRIA

Glória, glória, anjos nos céus

cantam todo seu amor

E na terra homens de paz:

(Deus merece o louvor.)3x só no final

1) Deus é Pai, nós vos louvamos,

adoramos, bendizemos,

Damos glória ao vosso nome,

nossos dons agradecemos.

2) Senhor Nosso Jesus  Cristo,

unigênito do Pai.

Vós, de Deus Cordeiro  Santo

nossas culpas,   perdoai.

3.Vós que estais junto do Pai

como nosso intercessor

acolhei nossos pedidos

atendei nosso clamor!.

4 Vós somente sois o Santo,

o Altíssimo Senhor,

O   Espírito  Divino

de Deus Pai o esplendor.

  1. ORAÇÃO DO DIA

PR.OREMOS: Deus do universo, fonte de todo bem,derramai em nossos corações o vosso amor e estreitai os laços que nos unem convosco para alimentar em nós o que é bom e guardar com solicitude o que nos destes. Por nosso Senhor Jesus Cristo,vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Ass. Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

  1. PRIMEIRA LEITURA – Dt 4,1-2.6-8

Do Livro do Deuteronômio.

  1. SALMO – 14(15)

Refrão: Senhor, quem morará em vossa casa e no vosso monte santo habitará?

  1. SEGUNDA LEITURA– Tg 1,17-18.21b-22.27

Da Carta de São Tiago

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia, aleluia, aleluia.

Deus, nosso Pai, nesse seu imenso amor,foi quem gerou-nos com a palavra da verdade,nós, as primícias do seu gesto criador!

  1. EVANGELHO – Mc 7,1-8.14-15.21-23

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo a Comunidade de Marcos

  1. HOMILIA

Texto de Tomaz Hughes

Para que entendamos o alcance do Evangelho de hoje, é necessário entender o contexto religioso do tempo de Jesus. Entre os elementos chaves na prática religiosa do judaísmo daquela época, estavam os conceitos de “puro” e “impuro”. Na nossa teologia, não é possível cometer um pecado inconscientemente, mas, para o povo do tempo de Jesus, o pecado tinha uma existência quase independente das pessoas. Certos atos, certos lugares, certas profissões tornavam as pessoas impuras, isso é, não aptas para participar do culto, sem primeiro passar pelos ritos de purificação. A seita dos essênios levava a preocupação com a pureza ritual aos extremos. Também os fariseus, cujo nome vem de uma palavra que significa “separados”, davam suma importância à pureza ritual. Assim, muitas vezes, impossibilitavam o acesso do povo comum ao culto do Deus da vida.

Diante dessa situação, a prática de Jesus era altamente libertadora. Sem recusar-se a participar nos ritos tradicionais, pois era judeu piedoso e praticante, ele entendeu que nada que vem de fora da pessoa é capaz de deixá-la impura. Jesus recuperava a ótica dos profetas. Eles, em lugar de se preocuparem primeiramente com rituais externos, conclamavam o povo para que vivesse a justiça, isto é, a prática da vontade de Deus. Jesus reintegrava as massas pobres, excluídas da vivência comunitária pelas exigências de pureza, impossíveis de serem seguidas na prática pela maioria. Ele voltava a atenção às disposições internas das pessoas. Eram elas que realmente podiam deixar as pessoas “impuras” diante de Deus. E Jesus faz uma lista de más disposições que vem do coração: “as más intenções, a imoralidade, os roubos, crimes, adultérios, ambições sem limite, maldade, malícia, devassidão, inveja, calúnia, orgulho, falta de juízo” (Marcos 7,21-22).

Assim Jesus recupera o ensinamento de profetas como Isaías. Diante das injustiças cometidas por pessoas que viviam na pureza ritual enquanto oprimiam os seus irmãos e ainda esperavam a proteção de Deus, ele denunciava: “O jejum que eu quero é este: acabar com as prisões injustas, desfazer as correntes do jugo, pôr em liberdade os oprimidos e despedaçar qualquer jugo; repartir a comida com quem passa fome, hospedar em sua casa os pobres sem abrigo, vestir aquele que se encontra nu e não se fechar à sua própria gente” (Isaías 58,6-7).

É um desafio hoje examinarmos a realidade de nossa prática religiosa. Sem negar a importância e o papel de celebrações, ritos, rituais e devoções, o evangelho de Jesus exige um sério exame de consciência. Convém verificar se, de um lado, o nosso seguimento de Jesus não está semelhante à prática religiosa dos fariseus, perfeita nas expressões externas, mas vazia por dentro. De outro, se é como a proposta que os profetas e Jesus propõem, uma religião de prática de solidariedade e de justiça, coerente com a nossa fé no Deus da vida. Ali, os ritos têm o seu lugar, expressando nosso verdadeiro compromisso com o Reino de Deus. Que a denúncia de Jesus diante do legalismo farisaico não se torne realidade em nossa prática cristã: “este povo me honra com os lábios, mas o coração deles está longe de mim” (Marcos 7,6).

Fonte: www.cebi.org.br

  1. PROFISSÃO DE FÉ
  1. PRECES DA ASSEMBLEIA

PR.Irmãos e irmãs, o chamado para o seguimento de Jesus exige resposta firme e decidida. Peçamos a Deus a força para caminharmos por este mundo, transformando-o com nossas vidas, rezemos juntos:

Ass. Senhor, animai nossa caminhada.

1.Senhor, para que a Igreja, por meio de sua Catequese, seja sinal de transformação e vida para o mundo, pedimos com fé.

  1. Senhor, pelos fieis leigos e leigas, que assumem a missão de Catequistas, contribuam com suas Palavras e ações para a propagação do conhecimento de Jesus, pedimos com fé.
  2. Senhor, por todos os cristãos, para que vivam em suas comunidades, aquilo que ouvimos e aprendemos de Jesus de Nazaré e assim, possamos construir um mundo mais justo e solidário, pedimos com fé.
  3. Senhor animai a todos os catequistas, em todas as etapas de vida dos cristãos, para que sejam sinal de esperança para nossa caminhada, pedimos com fé.

PR.Concluamos nossas preces rezando a oração vocacional, nos dirigindo a Cristo pelas vocações sacerdotais, religiosas e laicais, a fim de ajudar o rebanho,

apesar de sua fraqueza, a atingir a fortaleza do Pastor.

AS: Jesus, Mestre Divino, que chamastes os Apóstolos a vos seguirem, continuai a passar pelos nossos caminhos,pelas nossas famílias, pelas nossas escolas e continuai a repetir o convite a muitos jovens. Daí coragem às pessoas convidadas. Daí força para que vos sejam fiéis como apóstolos leigos,como sacerdotes, como religiosos e religiosas, para o bem do Povo de Deus e de toda a humanidade. Amém.

LOUVAÇÃO E AÇÃO DE GRAÇAS

  1. CANTO DAS OFERTAS

É o momento de fazer nossa oferta para manter as necessidades da comunidade, cantemos:

  1. Os dons que trago aqui, são o que fiz,

o que vivi. O pão que ofertarei,

pouco depois comungarei. Assim tudo o que é meu,

sinto também que é de Deus.

 

Esforço, trabalhos e sonhos,

o amor concreto e feliz deste dia.          

Por cristo,com cristo e em cristo,

Tudo ofertamos ó Pai na alegria.

 

  1. Jesus nos quis chamar para o seguir e ajudar.

E aqui nos vai dizer como servir e oferecer.

Deus pôs nas minhas mãos para eu partir com meus irmãos.

 

  1. CONVITE À AÇÃO DE GRAÇAS

Enquanto se faz um canto, o Ministro da Eucaristia traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.

PR.Irmãos e irmãs, vamos juntos dar graças a Deus, repartindo o Pão Consagrado, em memória de Jesus que se encontra em nossa mesa e nos dá o

seu perdão. Cantemos acolhendo o Pão Eucarístico.

  1. O Senhor esteja com vocês.

Ass. Ele está no meio de nós!

  1. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

Ass. É nosso dever e nossa salvação!

  1. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS:

PR.Irmãos e irmãs, é domingo, dia da Páscoa do Senhor! Elevemos ao Deus Uno e Trino nosso louvor. Ele queconduziu os antepassados para um mundo novo de justiça e fraternidade, mantendo-os sempre vivos na esperança.

Ass. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

PR.Nós te damos graças, ó Deus da vida, que nos acolhes na comunhão do teu amor e renovas nossos corações com a alegria da ressurreição de Jesus. Em ti vivemos, nos movemos e somos. Recebemos a cada dia as provas do teu amor e desde já a promessa da imortalidade.

Ass. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

PR.A Criação inteira te bendiz pela ressurreição de Jesus que renova todas as coisas. Nele se renova a esperança de que a morte será vencida e de que o teu reino vai chegar em nossa terra.

Ass. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

PR.Por este sinal do Corpo do teu Filho, expressamos nosso desejo de corresponder com mais fidelidade à missão que nos deste e invocamos sobre nós o teu Espírito. Apressa o tempo da vinda do teu reino e recebe o louvor de todo o universo e de todas as pessoas que te buscam.

Ass. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

PR.Ó Deus, criador do céu e da terra, os nossos louvores e as nossas preces cheguem a vós pelas mãos daquele que é nosso único mediador, Jesus Cristo, nosso Senhor, por quem oramos com as palavras que ele nos ensinou:

Ass. Pai nosso…,

  1. RITO DA COMUNHÃO

PR.Irmãos e irmãs, participemos da comunhão do Corpo do Senhor em profunda unidade com nossos irmãos que, neste dia, tomam parte da Celebração Eucarística, memorial vivo da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. O Corpo de Cristo será nosso alimento.

PR.Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

Ass:  Senhor, eu não sou digno …

  1. CANTO DE COMUNHÃO

1- Ao recebermos, Senhor,/ tua presença sagrada,/

Pra confirmar teu amor,/ faz de nós tua morada./

Surge um sincero louvor,/ brota a semente plantada,/

Faz-nos seguir teu caminho,/ sempre trilhar tua estrada.

DESAMARREM AS SANDÁLIAS E DESCANSEM,/

ESTE CHÃO É TERRA SANTA, IRMÃOS MEUS!/

VENHAM, OREM, COMAM, CANTEM,

VENHAM TODOS/

E RENOVEM A ESPERANÇA NO SENHOR.

2- O Filho de Deus como Pai / e o Espírito Santo:/

Nesta Trindade um só ser,/ que pede a nós sermos santos./

Dá-nos, Jesus, teu poder/ de se doar sem medida,/

Deixa que compreendamos/ que este é o sentido da vida.

 

3- Ao virmos te receber,/ nós te pedimos, ó Cristo,/

Faze vibrar nosso ser,/ indo ao encontro ao Pai Santo/

Sem descuidar dos irmãos,/ mil faces da tua face./

Faze que o coração sinta/ a força da caridade.

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

PR.Restaurados à vossa mesa pelo pão da vida, nós vos pedimos, ó Deus, que

este alimento da caridade fortifique os nossos corações e nos leve a vos servir

em nossos irmãos e irmãs. Por Cristo,nosso Senhor. Ass. Amém

RITOS FINAIS

  1. AVISOS
  1. BENÇÃO FINAL

PR: O Senhor esteja convosco.

Ass. Ele está no meio de nós.

PR:Abençoe-nos e guarde-nos o Senhor Todo Poderoso e cheio de misericórdia: Pai e Filho e Espírito Santo.

Ass. Amém.

PR:Vivendo a missão de anunciar o Evangelho a todos, ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

Ass. Graças a Deus!

  1. CANTO FINAL

1) Antes que te formasses dentro do ventre de tua mãe

Antes que tu nascestes, te conhecia e te consagrei

Para se meu profeta entre as nações eu te escolhi

Irás onde enviar-te e o que eu mando proclamarás

 

Tenho que gritar, tenho que arriscar,

ai de mim se não o faço.

Como escapar de ti? Como calar,

se tua voz arde em meu peito?

Tenho que andar, tenho que lutar,

ai de mim se não o faço.

Como escapar de ti, como calar,

se Tua voz arde em meu peito?

 

2) Não temas arriscar-te porque contigo eu estarei

Não temas anunciar-me, em tua boca eu falarei

Entrego-te meu povo, vai arrancar e derrubar

Para edificares, destruirás e  plantarás.

 

3) Deixa os teus irmãos, deixa o teu pai e tua mãe

Deixa a tua casa, porque a terra gritando está.

Nada tragas contigo, pois a teu lado Eu estarei

É hora de lutar porque meu povo sofrendo está.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui