Roteiro e reflexão 2° Domingo do Tempo Comum

521

Elaborado por Vasco Lagares – Diocece de Itabira/Cel. Fabriciano

REFRÃO

Tua Palavra é lâmpada para meus pés Senhor, lâmpada para meus pés, Senhor, Luz para o meu caminho. lâmpada para os meus pés, Senhor, Luz para o meu caminho. (BIS)

 

Ani. Neste segundo domingo do Tempo Comum, somos chamados a refletir sobre nossa vocação cristã. Qual sentido temos dado para o nosso seguimento a Jesus de Nazaré, a quem aderimos quando fomos batizados e crismados? Que papel estamos desempenhando no projeto inaugurado por Jesus Cristo e que hoje é apontado por João como o “cordeiro de Deus”. Que as reflexões deste domingo nos inspire a procurar a santidade em nossas ações cotidianas de escuta e acolhida aos irmãos e irmãs, a partir de nossa fé em Jesus Cristo. Cantemos.

 

RITOS INICIAIS

  1. CANTO DE ENTRADA

 

Javé, o Deus dos pobres, do povo sofredor, aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor. Pra nos dar esperança e contar com sua mão na construção do reino, reino novo, povo irmão.

  1. Sua mão sustenta o pobre, Ninguém fica ao desabrigo, Dá sustento a quem tem fome. Com a fina flor do trigo.
  2. Alimenta os nossos sonhos, Mesmo dentro da prisão. Ouve o grito do oprimido, Que lhe toca o coração.
  3. Cura os corações feridos, Mostra ao forte o seu poder, Dos pequenos é a defesa, Deixa a vida florescer.

 

  1. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO

PR: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

ASS: Amém

PR: A graça e a paz de Deus nosso Pai, o amor de Jesus Cristo e a comunhão com o Espírito Santo estejam sempre conosco

ASS: Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

Quem preside faz a acolhida e em breves palavras introduz o sentido da celebração. Que ações a comunidade desenvolve e que precisa de pessoas para ajudar?

 

  1. ATO PENITENCIAL:
  2. Irmãos e Irmãs no dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados a morrer para o pecado e ressurgir para uma vida nova. Reconheçamos-nos necessitados da misericórdia do Pai.
  3. Senhor, que sois o caminho que nos leva ao Pai, tende piedade de nós,

ASS. Senhor tende piedade de nós!

  1. Cristo, que sois a verdade que ilumina os povos, tende piedade de nós.

ASS. Cristo tende piedade de nós

  1. Senhor, que sois a vida que renova o mundo, tende piedade de nós.

ASS.  Senhor, tende piedade de nós!

  1. Deus Amor, Pai de infinita misericórdia, tenha compaixão de nós, perdoe os nossos pecados e nos conduza a vida eterna.

ASS.  Amém!

  1. GLÓRIA
  2. Glória a Deus nos altos céus! Paz na terra a seus amados! A vós louvam, rei celeste, os que foram libertados.

Ref.: Glória a Deus lá nos céus, e paz aos seus. Amém!

  1. Deus e Pai, nós vos louvamos, adoramos, bendizemos; damos glória ao vosso nome, vossos dons agradecemos.
  2. Senhor nosso, Jesus Cristo, unigênito do Pai, vós, de Deus cordeiro santo, nossas culpas perdoai!
  3. Vós, que estais junto do Pai como nosso intercessor, acolhei nossos pedidos, atendei nosso clamor!
  4. Vós somente sois o santo, o altíssimo, o Senhor, com o Espírito Divino, de Deus Pai no esplendor!

 

5 ORAÇÃO DO DIA

PR.: OREMOS: Deus Eterno e Todo-poderoso, que governais o céu e a terra, escutai com bondade as preces do Vosso povo e dai ao nosso tempo a Vossa paz. Por nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

  1. Amém.

 

LITURGIA DA PALAVRA

 

  1. PRIMEIRA LEITURA – Is 49,3.5-6

Da Profecia de Isaías.

  1. SALMO – 39(40)

Refrão: Eu disse: Eis que venho, Senhor, com prazer faço a vossa vontade!

 

  1. SEGUNDA LEITURA – 1Cor 1,1-3

Da  Primeira Carta de São Paulo aos Coríntios.

 

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

 

Aleluia, Aleluia, Aleluia.

Abriram-se os céus e fez-se ouvir a voz do Pai: Eis meu Filho muito amado: escutai-o, todos vós!

 

  1. EVANGELHO – Jo 1,29-34

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

 

  1. HOMILIA\REFLEXÃO

 

Assim como nas duas leituras, também o evangelho fala de vocação e missão, embora com mais discrição. Ainda no prólogo, o autor do Quarto Evangelho afirmou que “houve um homem enviado por Deus, cujo nome era João, para dar testemunho da luz” (Jo 1,6-7) – ou seja, de Jesus. Se João foi enviado para dar testemunho, significa que fora também chamado, escolhido. O evangelho deste dia corresponde a um trecho do seu testemunho.

Enquanto, nos sinóticos, João é caracterizado e conhecido mais pela sua atividade batizadora, no Quarto Evangelho ele se destaca pelo testemunho, e não propriamente por aquela atividade. Além disso, no evangelho joanino ele é chamado apenas de João, sem o nome funcional de Batista, utilizado na tradição sinótica.

O testemunho de João consiste no reconhecimento e anúncio da identidade de Jesus (Cordeiro; Filho de Deus) e da sua missão (tirar o pecado do mundo), tarefas nada fáceis, pois não havia traços que distinguissem Jesus dos demais homens. Além disso, havia muitas concepções de messianismo na época, o que dificultava ainda mais; tanto que o próprio João foi confundido com o Messias, sendo alvo de interrogatório por isso (cf. Jo 1,19-24). Logo, o testemunho de João é fruto de sua experiência profunda com Deus (cf. v. 33).

Do testemunho de João, duas afirmações se destacam: a primeira é a declaração de que Jesus é “o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo” (v. 29). Embora tenha ressonâncias veterotestamentárias, essa expressão é única em toda a Bíblia: além de prefigurar a morte sacrifical de Jesus na cruz como cordeiro pascal, contradiz os ideais messiânicos e nacionalistas da época. Esperava-se um Messias forte e guerreiro, que viesse ao mundo para exterminar os pecadores por meio da força, da violência. A imagem do cordeiro, pelo contrário, evoca mansidão e paz.

No culto do Templo, eram as pessoas que ofereciam seus cordeiros a Deus como sacrifício. O testemunho de João anuncia um movimento inverso: é Deus quem oferece seu cordeiro – seu próprio Filho – à humanidade. Por isso, ele não apenas “expia” os pecados das pessoas, mas também tira o pecado do mundo. Esse pecado é a rejeição ao amor de Deus. “Tirar o pecado do mundo”, portanto, significa restabelecer a comunicação entre a humanidade e Deus; é a proposta de um mundo novo, cujas relações se dão somente pelo amor. Enfim, é a superação do mal que impede o estabelecimento do Reino de Deus no mundo.

Embora surpreendente e nova, a identificação de Jesus como “Cordeiro de Deus” poderia ser compreendida como mera repetição das profecias sobre o “Servo do Senhor”, como aquela da primeira leitura, por exemplo. Por isso, João vai mais além e, para não deixar dúvidas, afirma explicitamente que Jesus é o “Filho de Deus” (v. 34). Com essa afirmação, seu testemunho chega ao ápice: é a confirmação do cumprimento da sua missão de ser testemunha da luz.

Por ser o Filho de Deus, Jesus é o portador por excelência do Espírito Santo e o comunica a todos os que invocam seu nome.

Fonte: www.vidapastoral.com.br 

  1. PROFISSÃO DE FÉ

 

  1. PRECES DA ASSEMBLÉIA
  2. Somos apresentados a Jesus Cristo, o Cordeiro de Deus. Com fé e confiança, peçamos a Deus, a força necessária para seguir Jesus. Rezemos Juntos:
  3. Ouvi-nos, Deus bondoso!
  4. Pelo Papa Francisco, por nosso Bispo, pelos sacerdotes e demais ministros e por todos os agentes de pastoral, para que, à semelhança de João de Batista, mostrem com firmeza o Cristo Salvador, rezemos:
  5. 2. Por nós, que hoje nos reunimos para celebrar a Eucaristia dominical, para que, aproveitando das graças desta celebração, sejamos testemunhas de que só em Jesus podemos construir um mundo de paz, reconciliação e amor, rezemos:
  6. Por nossa comunidade, para que façamos com gratidão e solidariedade a vontade do Pai, para assim contribuir com a construção do Reino inaugurado por Jesus Cristo, rezemos:
  7. Pelo nosso povo, para que encontre firmeza nas palavras do Evangelho, e mantenham-se firmes na busca por justiça e igualdade. Rezemos:

 

PR.: Ouvi, ó Deus, com bondade as orações da Vossa Igreja e, mantendo-nos em comunhão convosco, alcancemos Vossas graças e bênçãos. Por Cristo, nosso Senhor.

AS.: Amém.

LOUVOR E AÇÃO DE GRAÇAS

 

Ani. Tendo participado da mesa da Palavra, participemos agora da mesa da Eucaristia, façamos nossa oferta material.

  1. CANTO DAS OFERTAS
  2. Nesta mesa da irmandade a nossa comunidade se oferece a ti, Senhor. Nosso sonho e nossa luta, nossa fé, nossa conduta te entregamos com amor.

Ref.: /:Novo jeito de sermos Igreja, nós buscamos, Senhor, na tua mesa.:/ (Bis)

  1. Neste pão te oferecemos os mutirões que fazemos, a partilha, a produção. Neste vinho a alegria que floresce cada dia dentro de nossa união.
  2. Nesta Bíblia bem aberta encontramos a luz certa para aqui te oferecer, ela reúne teu povo na busca de um mundo novo onde os pobres vão viver.
  3. Nosso coração inteiro, Deus humano e companheiro, deixamos no teu altar. Nosso canto e a memória do martírio e da vitória nós trazemos pra te dar.

 

  1. LOUVAÇÃO E AÇÃO DE GRAÇAS

Enquanto o Ministro da Sagrada Comunhão traz o Pão consagrado e coloca sobre o altar, pode se entoado um canto de louvação

Em seguida o Presidente continua..

  1. O Senhor esteja com vocês.
  2. Ele está no meio de nós!
  3. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.
  4. É nosso dever e nossa salvação!
  5. Nós te damos graças, ó Deus da vida, porque neste santo dia de domingo nos acolhes na comunhão do teu amor e renovas nossos corações com a alegria da ressurreição de Jesus. Em ti vivemos, nos movemos e somos. Recebemos a cada dia as provas do teu amor e desde já a promessa da imortalidade.
  6. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. A criação inteira te bendiz pela ressurreição de Jesus que renova todas as coisas. Nele se renova a esperança de que a morte será vencida e de que o teu reino vai chegar em nossa terra.
  2. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. Por este sinal do Corpo do teu Filho, expressamos nosso desejo de corresponder com mais fidelidade à missão que nos deste e invocamos sobre nós o teu Espírito. Apressa o tempo da vinda do teu reino e recebe o louvor de todo o universo e de todas as pessoas que te buscam.
  2. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. Ó Senhor, olha com bondade e misericórdia a Igreja de Jesus Cristo, ajudai o Santo Padre o Papa N, o nosso Bispo N, os outros Bispos e servidores. Protege a nossa Diocese, Paróquia e Comunidades, daí força ao nosso Pároco N, e a todos os animadores das comunidades, pastorais, movimentos e serviços.
  2. Glória a ti, Senhor, toda graça e louvor! (bis)

 

  1. Toda a nossa Louvação hoje chegue a Ti, em nome de Jesus, por quem oramos com as palavras que ele no ensinou:

Pai nosso…

AS.: Pai Nosso…

 

  1. RITO DE COMUNHÃO

 

MESC: Irmãos e irmãs, participemos da comunhão do Corpo do Senhor em profunda unidade com nossos irmãos que, neste dia, tomam parte da celebração eucarística, memorial vivo da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo. O Corpo de cristo será nosso alimento.

 

MESC: Felizes os convidados para a ceia do Senhor. Eis o cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.!

AS.: Senhor, eu não sou digno(a)…

  1. CANT0 DE COMUNHÃO
  2. O nosso Deus, com amor sem medida, chamou-nos à vida, nos deu muitos dons. Nossa resposta ao amor será feita, se a nossa colheita mostrar frutos bons.

Ref.: Mas é preciso que o fruto se parta, e se reparta na mesa do amor! (bis)

  1. Participar é criar comunhão, fermento no pão, saber repartir. Comprometer-se com a vida do irmão, viver a missão de se dar a servir.
  2. Os grãos de trigo, em farinha se tornam. Depois se transformam em vida no pão. Assim também, quando participamos, unidos criamos maior comunhão.

 

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO

PR.: OREMOS: Penetrai-nos, ó Deus com o Vosso Espírito de caridade, para que vivam unidos no Vosso

amor os que alimentastes com a Vossa Palavra. Por Cristo, nosso Senhor. T. Amém.

 

  1. AVISOS

 

  1. BENÇÃO FINAL
  2. O Senhor esteja convosco.
  3. Ele está no meio de nós.
  4. Concedei, ó Deus, aos vossos filhos e filhas, vossa assistência e vossa graça: dai-lhes saúde de alma e corpo, fazei que se amem como irmãos e estejam sempre a vosso serviço. Por Cristo, nosso Senhor.
  5. Amém.
  6. Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho = e Espírito Santo.
  7. Amém.
  8. Glorificai o Senhor com vossa vida; ide em paz e o Senhor vos acompanhe.
  9. Graças a Deus.

 

  1. CANTO FINAL

A necessidade era tanta e tamanha

Que a fraternidade saiu em campanha,

Andou pelos vales, subiu as montanhas

Foi levar o seu pão.

A dor era tanta, a injustiça tamanha,

Que a luz de Jesus que o seu povo acompanha

O iluminou pra viver em campanha

Em favor dos irmãos.

 

Um só coração e uma só alma,

Um só sentimento em favor dos pequenos

E o desejo feliz

De tornar o país

Mais irmão e fraterno

Vão fazer de nós

Povo do Senhor

Construtores do amor,

Operários da paz,

Mais fiéis a Jesus;

Vão fazer nossa igreja

Uma Igreja mais santa

E mais plena de luz.

 

Erguer as mãos com alegria

Mas repartir também o pão de cada dia! (3v)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui