Roteiro e reflexão 17º Domingo do Tempo Comum

433

Elaborado por Vasco Lagares – Diocese de Itabira Cel. Fabriciano

 

17º DOMINGO DO TEMPO COMUM – ANO B

25 de julho 2021

RITOS INICIAIS

A Comunidade pode trazer para esta liturgia, as ações de cuidados com os mais pobres, especialmente os que passam fome. Destacar as ações para as pessoas idosas, especialmente os avós.

  1. REFRÃO MEDITATIVO

Louvarei a Deus, seu nome bendirei  

Louvarei a Deus, Ele é minha salvação!

 

  1. CANTO DE ENTRADA

Javé, o Deus dos pobres, do povo sofredor, aqui nos reuniu pra cantar o seu louvor.  

Pra nos dar esperança e contar com sua mão na construção do reino, reino novo, povo irmão.

  1. Sua mão sustenta o pobre, Ninguém fica ao desabrigo, Dá sustento a quem tem fome. Com a fina flor do trigo.
  2. Alimenta os nossos sonhos, Mesmo dentro da prisão. Ouve o grito do oprimido, Que lhe toca o coração.
  3. Cura os corações feridos, Mostra ao forte o seu poder, Dos pequenos é a defesa, Deixa a vida florescer.

 

  1. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO
  2. Demos graças a Deus que nos sacia com seu Amor e nos chama ao cuidado com nossos irmãos e irmãs: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Ass. Amém.

  1. A Graça de nosso Senhor Jesus Cristo, o amor do Pai e a comunhão do Espírito Santo estejam convosco.

Ass. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

  1. RECORDAÇÃO DA VIDA

A Liturgia de hoje nos recorda que pela graça de Deus somos saciados em nossas necessidades, e assim, também precisamos contribuir para saciar as necessidades de nossos irmãos e irmãs que mais precisam. Lembremos de modo especial das pessoas idosas, que precisam de nosso respeito, de nossa acolhida e de nosso cuidado. Rezemos por todos e todas, na pessoa de nossos avós.

  1. ATO PENITENCIAL
  2. Em Jesus Cristo, o Justo, que intercede por nós e nos reconcilia com o Pai, abramos o nosso espírito ao arrependimento. (silencio)

 

  1. Tende compaixão de nós, Senhor.

Ass: Porque somos pecadores.

Pres: Manifestai, Senhor, a vossa misericórdia.

Ass: E dai-nos a vossa salvação.

PR.: Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Ass: Amém.

 

  1. Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

PR.: Cristo, tende piedade de nós.

Ass: Cristo, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

  1. GLÓRIA

Glória a Deus nos altos céus,

paz na terra aos seus amados

A vós vos louvam,

Rei celeste, os que foram libertados!

 

Deus e Pai nós vos louvamos,

adoramos, bendizemos

Damos glória ao vosso nome,

vossos dons agradecemos, agradecemos!

 

Senhor nosso Jesus Cristo,

unigênito do Pai

Vós de Deus cordeiro Santo,

nossas culpas perdoai

Vós que estais junto do Pai,

como nosso intercessor

Acolhei nossos pedidos,

atendei   nosso clamor, nosso clamor

 

Vós somente sois o Santo,

o altíssimo, o Senhor

Com o espírito divino,

de Deus Pai o esplendor

 

  1. ORAÇÃO DO DIA
  2. OREMOS: Ó Deus, sois o amparo dos que em vós esperam e, sem vosso auxílio, ninguém é forte, ninguém é santo; redobrai de amor para conosco, para que, conduzidos por vós, usemos de tal modo os bens que passam, que possamos abraçar os que não passam. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Ass: Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

  1. PRIMEIRA LEITURA – 2Rs 4,42-44

Do Segundo Livro dos Reis

  1. SALMO – 144(145)

Refrão: Saciai os vossos filhos, ó Senhor!

  1. SEGUNDA LEITURA – Ef 4,1-6

Da Carta de São Paulo aos Efésios

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia, Aleluia, Aleluia! (Bis)

Um grande profeta surgiu, surgiu e entre nós se mostrou;

é Deus que seu povo visita, seu povo, meu Deus visitou!

  1. EVANGELHO – Jo 6,1-15

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo a Comunidade de João

  1. HOMILIA

A Realidade

Discutia-se na reunião o porquê da pouca atuação da diocese na área social. Alguém disse: “Vejam no orçamento da diocese como é pequena ou nula a verba destinada à área social!”. Dom José Mauro, que, como bispo diocesano, participava pela primeira vez daquela reunião, corrigiu: “Não precisa de dinheiro. Basta querer, que se pode fazer muita coisa. O pobre é quem melhor sabe repartir.”.

A Palavra

Jesus atravessa o mar seguido de grande multidão que via nele esperança para os sofredores. Em seguida ele se senta na montanha para ensinar. Era Páscoa. A Páscoa lembra a saída dos hebreus da escravidão do Egito através do Mar Vermelho, liderados por Moisés, que, do Monte Sinai trouxe para o povo a Lei ou Ensinamento de Deus. Jesus é o novo Moisés.

Moisés deu ao povo um alimento misterioso (maná significa que é isso?), que não sobrava para quem recolhia muito, nem faltava para quem recolhia pouco. Jesus provoca Felipe: “Onde comprar? Como arrumar dinheiro?” A solução não era essa. Um garoto, mesma palavra que se usava para servo, oferece cinco pães de cevada e dois peixes. Sete, quer dizer, tudo.

Pão de cevada era o mais barato, era o pão dos pobres, lembrado também na Primeira Leitura. Jesus manda o povo se sentar. O povo não pode ser sempre dependente, deve ser senhor de si, comer sentado. Jesus, de pé, serve as pessoas, que estão sentadas.

Os discípulos recolhem as sobras, doze cestos correspondendo às doze tribos de Israel. Mas o povo não entende, quer fazer de Jesus um rei, um padrinho, um patrono que lhes resolva todos os problemas. Não entendeu que a solução está no próprio povo, na partilha que o pequeno e o pobre sabem fazer. Não entendeu que a solução é sentir-se senhor, que come sentado, e não ficar eternamente dependente.

O Mistério

Na sequência do Evangelho Jesus diz que ele é o verdadeiro pão descido do céu. Os judeus não entendem, perguntam como ele vai dar sua carne a comer. Entenderam no sentido físico, enquanto que Jesus falava em sentido espiritual, simbólico, sacramental. Usa um verbo que significa devorar, comer cru. Engolir a carne de Jesus não é comer um pedaço dele, é assumir que ele, o crucificado, é a salvação. É agir como ele, entrar na dele.

Padre José Luiz Gonzaga do Prado

  1. PROFISSÃO DE FÉ
  1. PRECES DA ASSEMBLÉIA
  2. Irmãos e irmãs, elevemos ao Senhor a nossa oração pedindo que Ele nos conceda um coração humilde e amável e nos sacie com o seu amor. A cada prece rezamos:

Ass. Saciai-nos Senhor!

  1. Com o pão de cada dia!
  2. Com o suar do nosso trabalho!
  3. Com o cuidado com nossas famílias!
  4. Com o cuidado com nossos idosos!
  5. Com a partilha e a solidariedade!
  6. Com o diálogo, a tolerância e o respeito!
  7. Com políticas públicas que atendam aos mais necessitados!

Preces espontâneas.

  1. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo Ressuscitado.

Ass. Amém.

LOUVAÇÃO E AÇÃO DE GRAÇAS

  1. CANTO DAS OFERTAS

É o momento de fazer nossa oferta para manter as necessidades da comunidade, cantemos:

  1. Os grãos que formam a espiga se unem pra serem pão. Os homens que são

igreja se unem pela oblação.

Diante do altar, Senhor, entendo minha vocação. Devo sacrificar a vida por

meu irmão

  1. O grão caído na terra, só vive se vai morrer. É dando que se recebe; morrendo,

se vai viver.

  1. O vinho e o pão ofertamos, são nossa resposta de amor. Pedimos humildemente, aceita-nos, ó Senhor.

 

  1. CONVITE À AÇÃO DE GRAÇAS

Enquanto se faz um canto, o Ministro da Eucaristia traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.

 

  1. Irmãos e irmãs, vamos juntos dar graças a Deus, repartindo o Pão Consagrado, em memória de Jesus que se encontra em nossa mesa e nos dá o

seu perdão. Cantemos acolhendo o Pão Eucarístico.

  1. O Senhor esteja com vocês.

Ass. Ele está no meio de nós!

  1. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

Ass. É nosso dever e nossa salvação!

 

  1. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS:
  2. Nós vos damos graças, ó Pai, por toda a vossa criação e por tudo o que fizestes no meio de nós, por intermédio de Jesus Cristo, vosso Filho e nosso irmão, que nos destes como imagem viva do vosso amor e de vossa bondade.

Ass. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!

  1. Envie sobre nós, aqui reunidos, o vosso Espírito e daí a esta terra que nos sustenta uma nova face. Que haja paz em nossas famílias e cresça em nossa comunidade a alegria de sermos vossos por Cristo, nosso Senhor.

Ass. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!

 

  1. Pela Palavra do Evangelho de vosso Filho, fazei que as Igrejas do mundo inteiro caminhem na unidade com o Papa Francisco e sejam sinais da presença do Cristo Ressuscitado. Tornai esta comunidade cada vez mais sinal de vossa bondade e unida na caminhada com a Diocese acolhamos os que mais precisam de nossa solidariedade.

Ass. Por nós fez maravilhas, louvemos o Senhor!

  1. Ó Deus, criador do céu e da terra, os nossos louvores e as nossas preces cheguem a vós pelas mãos daquele que é nosso único mediador, Jesus Cristo, nosso Senhor, por quem oramos com as palavras que ele nos ensinou:

Ass. Pai nosso…,

  1. RITO DA COMUNHÃO
  2. Irmãos e irmãs, participemos da comunhão do Corpo do Senhor em profunda unidade com nossos irmãos que, neste dia, tomam parte da Celebração Eucarística, memorial vivo da Paixão, Morte e Ressurreição de Jesus Cristo. O Corpo de Cristo será nosso alimento.

 

  1. Felizes os convidados para a Ceia do Senhor. Eis o Cordeiro de Deus, que tira o pecado do mundo.

Ass:  Senhor, eu não sou digno …

 

  1. CANTO DE COMUNHÃO
  2. O nosso Deus, com amor sem medida, chamou-nos à vida, nos deu muitos dons. Nossa resposta ao amor será feita, se a nossa colheita mostrar frutos bons.

Ref.: Mas é preciso que o fruto se parta, e se reparta na mesa do amor! (bis)

  1. Participar é criar comunhão, fermento no pão, saber repartir. Comprometer-se com a vida do irmão, viver a missão de se dar a servir.
  2. Os grãos de trigo, em farinha se tornam. Depois se transformam em vida no pão. Assim também, quando participamos, unidos criamos maior comunhão.

 

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
  2. Recebemos, ó Deus, este sacramento, memorial permanente da paixão do vosso Filho; fazei que o dom da vossa inefável caridade possa servir à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor. Ass. Amém

RITOS FINAIS

  1. AVISOS
  1. BENÇÃO FINAL

PR: O Senhor esteja convosco.

Ass.  Ele está no meio de nós.

PR: Abençoe-nos e guarde-nos o Senhor Todo Poderoso e cheio de misericórdia: Pai e Filho e Espírito Santo.

Ass.  Amém.

PR: Vivendo a missão de anunciar o Evangelho a todos, ide em paz e o Senhor vos acompanhe.

Ass.  Graças a Deus!

  1. CANTO FINAL

A necessidade era tanta e tamanha

Que a fraternidade saiu em campanha,

Andou pelos vales, subiu as montanhas

Foi levar o seu pão.

A dor era tanta, a injustiça tamanha,

Que a luz de Jesus que o seu povo acompanha

O iluminou pra viver em campanha

Em favor dos irmãos.

 

Um só coração e uma só alma,

Um só sentimento em favor dos pequenos

E o desejo feliz

De tornar o país

Mais irmão e fraterno

Vão fazer de nós

Povo do Senhor

Construtores do amor,

Operários da paz,

Mais fiéis a Jesus;

Vão fazer nossa igreja

Uma Igreja mais santa

E mais plena de luz.

 

Erguer as mãos com alegria

Mas repartir também o pão de cada dia! (3v)

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui