Roteiro e reflexão 14º Domingo do Tempo Comum

246

Elaborado por Vasco Lagares – Diocese de Itabira/Cel. Fabriciano

04 de julho 2021

SOLENIDADE DE SÃO PEDRO E SÃO PAULO APÓSTOLOS

RITOS INICIAIS

A Comunidade pode trazer para esta liturgia, as ações missionárias que realiza, principalmente de propagação da Palavra.

  1. REFRÃO MEDITATIVO

Deus é amor, arrisquemos viver por amor

Deus é      amor, ele afasta o medo

  1. CANTO DE ENTRADA

Toda a Igreja unida celebra a memória pascal do Cordeiro

irmanada com Pedro e com Paulo, que seguiram a Cristo por primeiro!

  1. Publicai em toda terra os prodígios do Senhor. Reuniu seu povo amado para o canto do louvor.
  2. Bendizei, louvai por Pedro, pela fé que professou; essa fé é a rocha firme da

Igreja do Senhor.

  1. Bendizei, louvai por Paulo, pelo empenho na missão; o seu zelo do Evangelho

leva ao mundo a salvação.

  1. Alegrai-vos, neste dia, que o martírio iluminou. O triunfo destes santos nos

confirme no amor.

  1. ACOLHIDA E SAUDAÇÃO
  2. Demos graças a Deus que nos toca com sua presença e nos envia para a missão: Em nome do Pai e do Filho e do Espírito Santo.

Ass. Amém.

  1. O Senhor, que encaminha os nossos corações para o amor de Deus e a constância de Cristo, esteja convosco.

Ass. Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo.

  1. RECORDAÇÃO DA VIDA

Irmãos e irmãs, neste domingo, celebramos São Pedro e São Paulo, apóstolos que viveram de forma diferente seu segmento a Jesus Cristo, mas, tinham em comum a fidelidade e o zelo pelo Evangelho e o martírio por causa do Reino. Inspirados nestes ícones de nossa Igreja, nossas comunidades assumam com dedicação a vivência da Palavra e o cuidado pela missão.

  1. ATO PENITENCIAL
  2. No dia em que celebramos a vitória de Cristo sobre o pecado e a morte, também nós somos convidados a morrer para o pecado e ressurgir para uma vida nova. Reconheçamo-nos necessitados da misericórdia do Pai. (silêncio)

PR.: Confessemos os nossos pecados:

Ass: Confesso a Deus Todo-Poderoso e a vós, irmãos, que pequei muitas vezes por pensamentos e palavras, atos e omissões, por minha culpa, minha tão grande culpa. E peço à Virgem Maria, aos Anjos e Santos, e a vós, irmãos, que rogueis por mim a Deus, Nosso Senhor.

PR.: Deus Todo-Poderoso tenha compaixão de nós perdoe os nossos pecados e nos conduza à vida eterna.

Ass: Amém.

  1. Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

PR.: Cristo, tende piedade de nós.

Ass: Cristo, tende piedade de nós.

  1. Senhor, tende piedade de nós.

Ass: Senhor, tende piedade de nós.

  1. GLÓRIA

Glória a Deus nas alturas

E paz na terra aos homens por Ele amados

Senhor Deus, Rei dos céus

Deus Pai todo poderoso

Nós vos louvamos / Nós vos bendizemos

Nós vos adoramos /  Nós vos glorificamos

Nós vos damos graças

por vossa imensa glória.

Senhor Jesus Cristo, Filho Unigênito

Senhor Deus, Cordeiro de Deus,

Filho de Deus Pai

Vós que tirais o pecado do mundo,

tende piedade de nós

Vós que tirais o pecado do mundo

Acolhei a nossa súplica

Vós que estais à direita do Pai

Tende piedade de nós

Só vós sois Santo /  Só vós sois o Senhor

Só vós o Altíssimo, Jesus Cristo

Com o Espírito Santo

na glória de Deus Pai. Amém!

  1. ORAÇÃO DO DIA
  2. OREMOS: Ó Deus que hoje nos concedeis a alegria de festejar São Pedro e São Paulo, concedei a vossa Igreja seguir em tudo os ensinamentos destes Apóstolos que nos deram as primícias da fé. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo. Ass: Amém.

LITURGIA DA PALAVRA

  1. PRIMEIRA LEITURA – At 12,1-11

Dos Atos dos Apóstolos

  1. SALMO – 33(34)

Refrão: De todos os temores me livrou o Senhor Deus.

  1. SEGUNDA LEITURA – (2Tm 4,6-8.17-18)

Da Segunda Carta de São Paulo a Timóteo

  1. ACLAMAÇÃO AO EVANGELHO

Aleluia, Aleluia, Aleluia! (Bis)

Tu és Pedro e sobre esta pedra eu irei construir a minha Igreja; e as portas do

inferno não irão derrotá-la.

  1. EVANGELHO – (Mt 16,13-19)

Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo a Comunidade de Mateus

  1. HOMILIA

A Realidade

Na reunião de um grupo de reflexão uma “dirigente” dizia que tinha o apoio do padre, que ela é que preparava as reuniões, ela sabia mais que os outros etc. etc., por isso ela era o bom pastor. Um participante retrucou: “Fulana, você já viu um burro ficar tão prático no varal da carroça que um dia ele passa a carroceiro? Só Jesus é o verdadeiro pastor!”.

O rebanho é dele, a Igreja é dele. Mas não pode ficar à mercê dos ventos ou da boa vontade espontânea para se organizar e caminhar. O grupo humano, por menor que seja, a comunidade, por melhor que seja, a Igreja toda, por mais consciente que seja, não podem ficar sem organização, sem distribuição de tarefas e encargos. Um carro precisa de motor, mas precisa também de direção.

A Palavra

Na Palestina a expectativa era da vinda de um Messias-Rei que viesse resolver o problema nacional. Fora de lá, Jesus pergunta quem ele é. Contra a opinião do povo que via nele apenas mais um profeta, Pedro afirma ser ele o verdadeiro Messias.

Por força dessa profissão de fé que corresponde ao verdadeiro pensamento de Deus, Jesus lhe dá o encargo de ser a rocha sobre a qual constrói a sua Igreja. A Igreja, comunidade dos discípulos de Jesus está sempre se construindo, se formando e não pode esquecer a primeira pedra do seu alicerce.

O que hoje se celebra é o martírio das duas testemunhas, Pedro e Paulo, mortos pelo mesmo Império Romano que matou Jesus (Ap 11,8). A primeira leitura fala de uma prisão e libertação de Pedro e da oração da comunidade por ele. A segunda Leitura apresenta Paulo, o grande motor da Igreja primitiva e companheiro de Pedro no testemunho, vendo chegar a hora de sua morte.

O Mistério

Jesus é o primeiro dos mártires, aquele que deu seu belo testemunho perante Pôncio Pilatos (1Tm 6,13). Os outros foram apenas seus seguidores. De Pedro o próprio Jesus alude à sua morte de cruz (Jo 21,18-19) e completa “Segue-me!”.

Na Eucaristia celebramos também todos aqueles que lavaram seus mantos no sangue do Cordeiro imolado e de pé e que, assim, tira o pecado do mundo. Não é a riqueza, o poder ou a autoridade, é a doação da própria vida que faz vir o Reino de Deus e realizar-se sua vontade assim na terra como no céu.

Padre José Luís Gonzaga do Prado

  1. PROFISSÃO DE FÉ
  1. PRECES DA ASSEMBLÉIA
  2. Irmãos e irmãs, confiantes no amor de Deus por todos que se mantem fieis ao Evangelho de Cristo e se dedicam a construção do Reino em nossa caminhada, apresentemos nossos pedidos e digamos juntos:

Ass. Ouvi Senhor, a nossa prece!

  1. Senhor Deus, pela Igreja, para que guiada pelos sucessores de São Pedro, seja cada vez mais fiel ao Evangelho de Cristo e comprometida com os irmãos e irmãs mais necessitados, pedimos com fé.
  2. Senhor Deus, pelas pastorais, movimentos e serviços, para que se dediquem com fé ao trabalho missionário e pastoral, se inspirando na fidelidade de São Paulo à mensagem de Jesus e no zelo pelas comunidades missionárias, pedimos com fé.
  3. Senhor Deus, animai nossos seminaristas, catequistas, Ministros, para que seja fieis ao Evangelho de Jesus, devotando sua vida à propagação de sua mensagem de libertação, pedimos com fé.
  4. Senhor Deus, que o Evangelho de Cristo, anunciado por nossas Igreja, vivenciados em nossas pastorais, possa alcançar a conversão dos que ainda não o conhece e faça retornar aqueles que se afastaram, pedimos com fé.

Preces espontâneas.

  1. Tudo isso vos pedimos, ó Pai, por Cristo Ressuscitado.

Ass. Amém.

LOUVAÇÃO E AÇÃO DE GRAÇAS

  1. CANTO DAS OFERTAS

É o momento de fazer nossa oferta para manter as necessidades da comunidade, cantemos:

1- Cada  vez  que  eu  venho  para  te  falar,

na  verdade  eu  venho  para  te   escu tar.

Fala-me  da  Vi  da,  preciso  te  escutar!

Fala  da  Verdade  que   vai   me   líbertar!

 

2- Cada  vez  que  eu  venho  para  oferecer,

na   verdade  eu   venho   para   rece ber.

Dá-me o pão da Vida, que vai me alimentar!

Dá-me a água viva, que vai me saciar!

  1. CONVITE À AÇÃO DE GRAÇAS

O(a) animador(a) convida a assembleia para de pé, receber o Pão Eucarístico. Enquanto se faz um canto, o Ministro da Eucaristia traz o pão consagrado e o coloca sobre o altar. Todos fazem uma breve inclinação.

  1. Irmãos e irmãs, vamos juntos dar graças a Deus, repartindo o Pão Consagrado, em memória de Jesus que se encontra em nossa mesa e nos dá o

seu perdão. Cantemos acolhendo o Pão Eucarístico.

  1. O Senhor esteja com vocês.

Ass. Ele está no meio de nós!

  1. Demos graças ao Senhor, nosso Deus.

Ass. É nosso dever e nossa salvação!

  1. ORAÇÃO DE AÇÃO DE GRAÇAS:
  2. Nós te damos muitas graças, ó Pai Santo, ó Senhor,

por teu nome que nos deste em Jesus, teu Servidor. (Bis)

Glória a ti, Senhor! Graças e louvor!

  1. Dás a todos o alimento que a terra lhes produz.

para nós tu reservaste o pão vivo, que é Jesus. (Bis)

Glória a ti, Senhor! Graças e louvor!

  1. E liberta tua Igreja do poder de todo mal.

Que ela seja una e santa, no teu Reino imortal. (Bis)

Glória a ti, Senhor! Graças e louvor!

  1. Ó Senhor, que venha a graça, todos voltem para o bem!

Passe o mundo transitório, vem, Senhor Jesus! Amém! (Bis)

Glória a ti, Senhor! Graças e louvor!

  1. Finalmente a nossa boca, inspirada por teu Filho

E seguindo o seu exemplo, o teu santo nome invoca. (Bis)

Ass. Pai nosso…,

  1. RITO DA COMUNHÃO
  2. Relembrando de Jesus que, muitas vezes, reuniu-se com os seus para comer e beber, revelando que o teu reino havia chegado, nós também nos alegramos com Ele nesta mesa. E tomando o pão consagrado, acrescenta:

Assim disse Jesus: “Se alguém ouvir a minha voz e abrir a porta, entrarei em sua casa e comerei com ele e ele comigo”. (Ap 3,20)

Ass:  Senhor, eu não sou digno …

  1. CANTO DE COMUNHÃO

1)Vejam, eu andei pelas vilas,

apontei as saídas,

Como o Pai me pediu,

Portas, eu cheguei para abrí-las

Eu curei as feridas como nunca se viu

 

Por onde formos também nós,

Que brilhe a tua luz

Fala Senhor a nossa voz,

em nossa vida

Nosso caminho então conduz,

queremos ser assim

Que o Pão da Vida nos revigore

no nosso Sim!

2) Vejam, fiz de novo a leitura,

das raízes da vida

Que meu Pai vê melhor.

Luzes, acendi com brandura,

para ovelha perdida

Não medi meu suor.

3) Vejam, procurei bem aqueles,

que ninguém procurava

E falei de meu Pai.

Pobres , a esperança que é deles,

eu não quis ser escravo

De um poder que retrai.

4) Vejam, semeei consciência,

nos caminhos do povo

Pois o Pai quer assim

Tramas, enfrentei prepotência,

dos que temem o novo

Qual perigo sem fim .

5) Vejam, eu quebrei as algemas,

levantei os caídos

Do meu Pai fui as mãos

Laços, recusei os esquemas,

eu não quero oprimidos /

Quero um povo de irmãos.

  1. ORAÇÃO DEPOIS DA COMUNHÃO
  2. Oremos. Concedei-nos, ó Deus, pela escuta da vossa Palavra, viver de tal modo na vossa Igreja que, perseverando na doutrina dos Apóstolos e enraizados no vosso amor, sejamos um só coração e uma só alma. Por Cristo, nosso Senhor. Ass. Amém

RITOS FINAIS

  1. AVISOS
  1. BENÇÃO FINAL

PR: O Senhor esteja convosco.

Ass.  Ele está no meio de nós.

PR: Abençoe-vos o Deus todo poderoso, que vos deu por fundamento aquela fé

proclamada pelo Apóstolo Pedro e sobre a qual se edifica toda a Igreja.

Ass.  Amém.

PR: Ele, que vos instruiu pela incansável pregação de São Paulo, vos ensine a

conquistar também novos irmãos para o Cristo.

Ass.  Amém.

PR: Que a autoridade de Pedro e a pregação de Paulo vos levem à pátria celeste, onde chegaram gloriosamente um pela cruz e outro pela espada.

Ass.  Amém.

PR: Abençoe-vos Deus todo-poderoso, Pai e Filho ✠ e Espírito Santo.

Ass.  Amém.

PR: Levando ao mundo a alegria da fé que recebemos dos Apóstolos, ide em paz e que o Senhor vos acompanhe.

Ass.  Graças a Deus.

  1. CANTO FINAL

1- Tu,  te abeiraste da praia, não buscaste

nem sábios nem ricos.

Somente queres    que eu te siga.

Senhor, Tu me olhaste nos olhos,

a sorrir, pronunciaste meu nome,                              

lá na   praia,  eu larguei o meu barco,

junto a Ti, buscarei outro mar.

2- Tu, sabes bem que em meu barco,

eu não tenho nem ouro e nem espadas,

somente redes  e o meu trabalho.

3- Tu, minhas mãos solicitas,

meu cansaço que a outros descanse,

amor que almejas, seguir te amando.

4- Tu, pescador de outros lagos,

Ânsia eterna de almas que esperam,

Bondoso amigo que assim me chamas

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui