Reflexão sobre a política, a sociedade e a escolha da vida

318

Pe Nelito Dornelas – Assessor das CEBs Regional Leste 02

 

É de Mahatma Gandhi, nascido em 02 de outubro de 1869, que vem um pensamento muito forte sobre os sete pecados da sociedade moderna que eu quero compartilhar com você para iniciar a nossa reflexão.

Ele diz assim, a sociedade está fundamentada, está baseada, está construída sobre sete pecados capitais, como fundamentos que vão levar a humanidade a ruína. Dizia ele, ou nós destruamos esta sociedade nesse contexto, do mundo moderno, essa modernidade, estes sete pecados na sua raiz ou a humanidade não terá futuro.

Então dizia ele, primeiro pecado capital dos tempos modernos, Riqueza sem trabalho, segundo pecado capital dos tempos modernos, Comércio sem ética, terceiro pecado capital dos tempos modernos, Prazer sem escrúpulo, quarto pecado capital dos tempos modernos, Ciência sem humanidade, quinto pecado capital dos tempos modernos Conhecimento sem sabedoria, sexto pecado capital dos tempos modernos, Religião sem sacrifício e o sétimo eúltimo pecado capital dos tempos modernos segundo Mahatma Gandhi é Política sem idealismo.

Baseado nestes sete pecados capitais, nós podemos dizer que nós estamos agora colhendo os frutos amargos desses sete pecados capitais que foram criando raiz, capital é caput, cabeça, são a cabeça de todos os outros pecados, então, raiz também de todos os outros pecados, por isso esses sete pecados capitais se entrelaçaram entre si e nós agora colhemos o fruto amargo desta sociedade sem alma.

E é nesse sentido que o Papa São João 23 já falava no começo da década de 1960, que nós vivíamos uma sociedade pós cristã, porque os valores do Evangelho não eram mais levado em consideração para pensar a vida em sociedade, ele falava que nós vivíamos numa sociedade idolátrica e não evangélica, póscristã porque ela está baseada em cima de três princípios idolátricos, poder, lucro e eficiência.

A política fez uma ruptura com a ética que só visa o poder a todo custo. Houve também uma ruptura da economia com a ética que só visa lucro e também uma ruptura da ciência, da técnica com a ética que só visa eficiência.Então uma sociedade idolátrica baseada nesses três princípios idolátricos.

Se nós quisermos construir uma sociedade cristãdeveríamos basear-nos pelo menos em três das oito bem-aventuranças de Mateus:

Bem aventurado os puros de coração, porque verão a Deus, é o princípio da mística, da espiritualidade, da transcendência, dimensão da Fé.

Bem aventurados os mansos porque possuirão a terra, é dimensão ambiental, ecológica da proteção e do cuidado da casa comum e

Bem aventurados os misericordiosos porque alcançarão misericórdia que é a dimensão relacional, pautada pela misericórdia.

Vem o Papa Paulo VI, Sao Paulo VI que também constatou o mesmo que São João 23.E ele fala que nós vivemos em uma sociedade pós ética e vai denunciar isso profundamente na populurumprogressio e conclama a todos a construirmos a civilização do amor.

Depois vem São João Paulo II que percebe que nós vivermos em uma sociedade pós cultura da vida, uma sociedade fundamentada na cultura da morte e ele denunciou isso de uma maneira reiterada,e uma sociedade fundamentada na cultura da morte, não tem futuro.

Vem o Papa Bento 16 e dizia que nós vivemos numa sociedade pos transcendência, que cortou a relação com a transcendência. Vem o Papa Francisco e fala no início de seu pontificado, agora vivemos numa sociedade pos humana, o ser humano não é mais levado em consideração para pensar a vida em sociedade.Dois anos depois ele fala, agora ja é uma sociedade pós democrática, os princípios da democracia não são mais levados em consideração para se pensar a vida em sociedade.

Dois anos depois ele fala, agora já piorou mais ainda, agora é a sociedade da pós-verdade, dos fake News, os princípios da verdade não são mais levados em consideração para pensara vida em sociedade e agora no sínodo Pan amazônico, ele falava piorou, já estamos no Eclipse da Razão, parece que a razão perdeu a razão, perdeu o sentido de pensar a vida em sociedade, é o embrutecimento, é a sociedade da Barbárie. Isso é muito triste. Nós estamos caminhando para isso a passos largos e hoje o Papa Francisco lança a sua Encíclica, Todos Somos Irmãos e Irmas, que é o pensamento de Jesus, todos são irmãos, irmãs-Não chamo vocês de servos e escravos, de empregados, porque o servo não sabe o que pensa o seu senhor, chamo vocês de irmãos e irmãs porque tudo o que conheci do coração do meu pai, revelei a vocês.

Então Fratelli Tutti é exatamente esse pensamento de Jesus Cristo, e, em oito capítulos o PapaFrancisco vai desenhando essa realidade que está aí, tentando mapeá-lae mostrar qual é o nosso específico da vida cristã para poder reencantar a vida e o mundo, eu diria salvar a vida no planeta e a vida do planeta.

De maneira didática e profética Francisco chama todos nós a uma corresponsabilidade pessoal, social em todas as suas dimensões.E ele trabalha também a partir do pensamento de Bento XXVI em Deus Cáritas Est, quando elefala que existem várias modalidades do amor, existe o amor filia, que é o amor da amizade, existe o amor eros, que é o amor erótico, existe também a perversão do amor que é a pornéia, mas existe também o amor agape, que é justamente o amor altruísta, capaz de dialogar, de acreditar no outro, de superar toda e qualquer divisão e é capaz de promover o outrofazendo com que através da nossa cooresponsabilidade com o amor Ágape, que é o amor ao inimigo, amor ao diferente, o amor ao estrangeiro, ao migrante, o acolhimento ao outro, nós podemos assimreencantar a vida, e inclusive ele nos chama atenção sobre o amor político, a caridade política,o reencantamento da política e vai dizer desse amor social e mostrar para nós e chamar a nossa atenção e a nossa cooresponsabilidade na vida política como a forma mais elevada da caridade social.

Creio eu que o Papa Francisco esteja de acordo com o pensamento do autor da obra “O Príncipe”, ao afirmar que, a política não leva ninguém para o céu, mas se não fosse a política, a vida aqui na terra seriaum inferno. Pois tudo que temos na sociedade é fruto de decisões políticas, então que nós tenhamos a coragem de reencantar a política, pensando no bem comum, pensando que as nossas opções sejam para fazer da vida em sociedade o céu e não o inferno.Com certeza vamos optar, pela vida, como nos adverte o livro do Deuteronômio: eis que eu coloco diante de vós a vida e a morte, escolhei pois a

vida e viverás.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui