Páscoa: a vida floresce!

287

Por Padre Warlem Dias – diocese de Sete Lagoas

São mais de doze milhões de infectados. Mais de 300 mil mortes. Vivemos o luto de uma longa sexta-feira da paixão perceptível nos lamentos, choros e dores do vazio deixado nas cruzes. As vias sacras são intermináveis em busca do hospital, leito, oxigênio, trabalho e alimento. O isolamento social exacerbou o medo e a indiferença, calou as alegrias das festas, tomarmos bolhas! No entanto, muitos anônimos e profissionais de saúde “Amou-os até o fim”, ao estenderem as mãos para cuidar e salvar.

É hora de viver as alegrias do dia de Páscoa, que é feito para não se acabar, no testemunho de mulheres que “o amor é mais forte que a morte.” É tempo de expandir o perfume da Páscoa que nos envolve e deixa a vida florescer.

Sempre é domingo de Páscoa! Evangelho de Mc 16, 1-7.

a)    Mulheres primeiras na experiência pascal
Maria Madalena, movida pelo amor que ultrapassa as fronteiras, vai ao túmulo na madrugada, no primeiro dia da semana, levar o perfume da unção. De olhos ainda embaçados, ela é portadora do perfume e anúncio do novo dia feito para durar.
Ironia! Numa Igreja misógina, as mulheres são anunciadoras da ressurreição.
Na ausência dos discípulos é preciso a coragem e a força das mulheres, que permaneceram fiéis até a cruz e colocando-se a caminho. Entram no túmulo e fazem a experiência do mistério de morte e ressurreição.  Elas são testemunhas, ontem e hoje, da semente do amor que aos poucos vai abrindo caminho para a luz da vida nova. A cada dia pascal as vistas vão clareando, rompem-se medos e dúvidas de a que “vida é mais forte que morte.”  Elas espalham o perfume de cristo com os toques suaves da esperança.
b)    “Ele irá à vossa frente, na Galileia; lá o vereis, como ele mesmo tinha dito” (v.7).
Galileia dos pagãos e dos pobres! Lugar da missão de Jesus, agora dos discípulos, sinal da nova criação, num movimento humanizador a partir dos pobres e excluídos.  Voltar a Galileia é estender a luz pascal no florescer da vida. Na nova comunidade a casa é comum, a mesa é para todos: Irmão carrega irmão, irmão não tem tamanho, irmão não tem idade, irmão não tem nacionalidade. A páscoa clareia e perfuma os nossos caminhos.

A ressurreição é um aprendizado permanente do caminho num eterno balbuciar do aleluia!

Diante de tantas infecções e mortes, sejamos o perfume de Cristo, que traz força e alegria da vitória da vida sobre a morte. Na ressureição de Jesus a vida floresce!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui