Leitura Orante – Semana entre 22 a 29 de março

394

1.CANTO

Eis o tempo de conversão/ eis o dia de salvação / ao Pai  voltemos, juntos andemos! Eis o tempo de conversão.

2.Oração inicial:

Deus, nosso Pai, fonte da vida e princípio do bem viver, / criastes o ser humano e lhe confiastes o mundo / como um jardim a ser cultivado com amor.

Dai-nos um coração acolhedor para assumir / a vida como dom e compromisso.

Abri os nossos olhos para ver / as necessidades dos nossos irmãos e irmãs, / sobretudo dos mais pobres e marginalizados.

Ensinai-nos a sentir a verdadeira compaixão / expressa no cuidado fraterno, / próprio de quem reconhece no próximo / o rosto do vosso Filho.

Inspirai-nos palavras e ações para sermos / construtores de uma nova sociedade, / reconciliada no amor.

Dai-nos a graça de vivermos / em comunidades eclesiais missionárias / que, compadecidas, / vejam, se aproximem e cuidem / daqueles que sofrem, / a exemplo de Maria, a Senhora da Conceição Aparecida, / e de Santa Dulce dos Pobres, Anjo bom do Brasil.

Por Jesus, o Filho amado, / no Espírito, Senhor que dá a vida. / Amém!

3.CANTO

Tua palavra é!
Luz do meu caminho!
Luz do meu caminho, meu Deus!
Tua Palavra é!

4. LEITURA

Ler João 11,1-45

Pré-texto

A Comunidade do Discípulo Amado vivia em conflito com os “judeus” do chamado Judaísmo Formativo. O Mestre judeu ou Rabino Johanan Ben Zakkai tinha reunido outros mestres também fariseus como ele para decidir que os discípulos de Jesus não poderiam mais ser considerados judeus, mesmo que fossem da família judaica mais tradicional. Ele havia conseguido do Imperador Romano que o seu grupo, os que eles considerassem judeus, teria o privilégio de não precisar participar do culto imperial. E quem não participava daquele culto onde o deus era o Imperador, podia até ser condenado à morte.

Para os fariseus a ressurreição é só no fim do mundo, “no último dia”. Quem morre fica no fosso debaixo da terra, o lugar dos mortos, que na versão antiga do Credo chamávamos de “infernos” e na versão atual de “mansão dos mortos”, até o último dia.

Mas, para a Comunidade do Discípulo Amado, Jesus ressuscitou “ao terceiro dia”, não no “último dia”. O discípulo de Jesus também ressuscita, tem vida nova não no “último dia”, mas agora, já, mesmo que seu cadáver já esteja cheirando mal. A ressurreição de Jesus abriu as portas do reino da morte e quem lá estava já pode sair.

Além disso, a Comunidade do Discípulo Amado não admite o sistema dos judeus seguidores de Johanan Ben Zakai. Para eles os discípulos devem estar totalmente submissos aos dirigentes, pois só os mestres conhecem todos os mandamentos e suas explicações. Só eles têm iniciativa e os discípulos devem estar de mão e pés amarrados, além de não poderem ver nem falar por si mesmos.

Contexto

A hora de Jesus está se aproximando, já tentaram apedrejá-lo, logo Maria vai ungir seu corpo para a sepultura. Como ele dá a vida, aqueles que representam as forças da morte vão decidir matá-lo e ele vai morrer não só pela nação judaica, mas para reunir todos os filhos de Deus. A sua morte será a sua glória e a vida nova para o mundo e a Ressurreição será o primeiro dia, começo de uma nova criação. A comunidade ou fraternidade de seus amigos é onde acontece a ressurreição, a vida nova.

Texto

5. Ler novamente João 11,1-45  e responder:

  1. Esse doente chamado Lázaro tinha ligação com outras pessoas? Que tipo de ligação? E, com Jesus, tinha também alguma ligação? (v. 1-5) Era só com Jesus? (v. 11)
  2. Qual o significado dessas ligações?
  3. Tomé é Gêmeo (Dídimo em grego) de quem? O que ele diz (v. 16) pode explicar?
  4. Marta (v. 21), Maria (v. 32) e os judeus seus amigos (vv. 36-37) esperavam que Jesus pudesse dar nova vida a Lázaro, morto há quatro dias?
  5. Por que será que Jesus ficou comovido e até chorou? Os judeus (v. 36) é que entenderam? Lázaro vai ressuscitar. Haveria uma coisa que não estava agradando a Jesus?
  6. Marta, “a irmã do morto” estava acreditando que Jesus poderia dar nova vida a Lázaro? (v. 40) Para quando ela esperava a ressurreição de Lázaro? (v. 24)
  7. Vocês já viram (v. 44) morto sair, de pés e mãos atados e, ainda, com um pano cobrindo o rosto? Que significa isso?
  8. O que Jesus diz para os que estavam perto dele (nós, seus discípulos)? (v. 44)

Espelho para a comunidade do Evangelista:

A tradição que dizia que Jesus trouxe de volta à vida alguém que já estava morto tornou-se neste Evangelho símbolo não só da ressurreição de Jesus, que abre caminho para a ressurreição do mundo, mas também da ressurreição ou vida nova que Jesus dá aos seus discípulos. Na comunidade (casa dos irmãos) que Jesus ama é que o morto volta à vida e a missão da comunidade que está junto de Jesus é dar vida a quem já estava morto. É tirar das mãos dos rabinos fariseus os que, por eles, estavam mortos: de mãos e pés atados, sem rosto, sem boca, sem olhos nem ouvidos próprios.

Os judeus não entendem as lágrimas de Jesus, pois ele sabe que traz a ressurreição. O motivo de suas lágrimas e de sua comoção só pode ser que seus amigos, a sua comunidade, ainda não estavam acreditando que ele trouxesse a ressurreição já.

Ler novamente João 11,1-45

6. MEDITAÇÃO

Espelho par nós hoje:

Este Evangelho, lido da forma como nós o fizemos, diz alguma coisa para nós hoje? Nós precisamos ressuscitar, isto é, desatar mãos e pés e descobrir o rosto, os olhos, a boca, os ouvidos? Perto de nós andam mortos de pés e mãos atados, sem rosto, sem olhar próprio, sem ouvidos e sem boca para falar? O Grupo de Reflexão como tal não é um meio de desatar e deixar cada um caminhar por si?

Alem disso, acreditamos que a ressurreição de Jesus abriu a porta da ressurreição já para todos nós? Acreditamos que a morte é agora a porta da vida nova?

7.CANTO

Tua palavra é!
Luz do meu caminho!
Luz do meu caminho, meu Deus!
Tua Palavra é!

8.ORAÇÃO

O que esse Evangelho como nós o lemos me faz dizer a Deus?

Tempo de silêncio para cada um fazer uma oração pessoal

9.CONTEMPLAÇÃO

Tempo para cada um ler e reler esse texto na sua Bíblia e, em voz  baixa, ficar repetindo para si mesmo alguma frase que mais lhe chamou a atenção.

Se quiser, poderá ler a frase em voz alta.

10.AÇÃO

Agora é fora da reunião. Como podemos mudar e melhorar nossa maneira de agir em casa, no trabalho, na cidade?

11.ENCERRANDO A NOSSA LEITURA ORANTE

  • Preces espontâneas
  • Pai Nosso
  • Senhor, nosso Deus, dai-nos a graça de caminhar com alegria no mesmo amor que levou o vosso Filho a entregar-se à morte de cruz em favor da humanidade. Pelo mesmo Nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho…
  • Combinar onde vai ser a próxima reunião.
  • Bênção final: Que o Senhor nos abençoe e nos guarde e nos conduza pelos caminhos do seu Reino. Amém.

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui