Encontro regional de formação do Movimento Negro em Ubá

53

Aconteceu na tarde deste sábado (23/07), o Encontro Regional de Formação do Movimento Negro, que teve acolhida na cidade carinho de Ubá, e com a participação dos municípios de Leopoldina, Cataguases, Muriaé, Piraúba, Tocantins, Viçosa e Paula Cândido. Com Assessoria de Martvs das Chagas, ex-ministro da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (SEPPIR), ex-vice-presidente da Fundação Cultural Palmares e atual Secretário de Planejamento e Orçamento do município de Juiz de Fora, o encontro teve como tema “O Negro e a atual conjuntura brasileira” e como lema “Um olhar do presente em direção ao Futuro”. Estiveram presentes representações e lideranças de Movimentos Sociais, culturais, sindicatos, Associações, Estudantes, Educadores(as), partidos políticos, Agentes Pastorais Negros, da Cáritas e das CEBs, estes três últimos segmentos também compondo a articulação do evento juntamente com a Associação Cultural de Combate à Discriminação Racial Solano Trindade (AST) de Ubá, principal organizadora da atividade e que também conta com lideranças históricas das CEBs na região.

 

Após a mística de acolhida e abertura, Martvs fez uma análise histórica do advento do racismo em suas múltiplas manifestações, das teorias, ideologias e sistema político que o sustentam, seus efeitos na vida da população negra e análise da conjuntura recente das políticas de promoção da igualdade racial, que tiveram seu ápice e êxitos, ainda que tímidos, entre os anos 2003 e 2015, quando a gestão federal teve à frente um governo que mesmo com tensões, tinha um compromisso com a pauta da inclusão racial e o completo retrocesso dessas pautas no pós-golpe de 2016, com governos sem compromisso com pautas sociais, que tem no retorno da fome, que vitima com maior intensidade a população negra, uma de suas consequências. A saída desta tragédia, sinalizou, passa pelo voto nas eleições deste ano, mas também pela permanente mobilização e participação política de todos e todas.

Na oportunidade, foi entregue a Martvs, que integra a equipe de plano de governo de uma das coligações em disputa ao governo federal deste ano, a Carta de Ubá, com 13 propostas de compromissos antirracistas elaboradas pela organização e participantes do evento.

Ao final, foram realizadas discussões e trabalhos de grupo, recepção de mais representações para integrar a equipe de articulação regional do Movimento Negro e escolha da cidade a sediar o próximo encontro de formação, sendo escolhida a cidade de Leopoldina. Em alusão ao dia da mulher negra, caribenha e latino-americana, a ser comemorado no dia 25 de julho, que também foi instituído oficialmente no Brasil pela lei 12.987 em 2014 como Dia Nacional de Tereza de Benguela e da Mulher Negra, cada grupo de trabalho (em número de 05 e denominados Mocambo) levou o nome de uma importante liderança negra feminina: a própria Tereza de Benguela, Lélia González, Tia Ciata, Laudelina de Campos Melo e Marielle Franco. As vidas e lutas dessas mulheres foram lembradas como fontes de inspiração para a causa antirracista. Também se relembrou os 114 anos de nascimento de Solano Trindade, poeta, pintor, folclorista, ator, teatrólogo, cineasta e Militante do Movimento Negro, nascido em 24 de julho de 1908 e falecido em 1974, e cuja entidade principal promotora do evento em Ubá, leva seu nome.

A avaliação do Encontro foi positiva e marca a rearticulação do Movimento Negro a nível regional neste território da Zona da Mata mineira. O evento contou também com sensacional participação e animação da sambista, cantora, compositora e intérprete leopldinense Janaína Gentil que abrilhantou a atividade com sua arte juntamente com seus músicos acompanhantes: Carlos Roberto Santiago (Beto cabeção) e Rafael Malaquias.

Por: Wagno da Rocha Antunes

Movimento Negro de Leopoldina e Regional, Cáritas Diocesana e CEBs

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui