Dia Nacional do Cristão Leigo e Leiga

334

Por Magda Melo

Pela graça do Batismo, os cristãos leigos e leigas têm uma missão especial na Igreja e na sociedade. Somos convocados pela vocação recebida a transformar a sociedade sendo fermento, sal e luz. Indo pelo mundo, anunciando o evangelho. Somos chamados a realizar a missão dentro das realidades nas quais nos encontramos no dia-a-dia.
O nosso papel de cristão leigo e leiga não é ficar o dia todo na igreja, mas ser fermento na vida das pessoas como sal da terra e luz do mundo. Trabalhando efetivamente na construção do Reino de Deus, um reino eterno e universal, reino da verdade e da vida, reino da santidade e da graça, reino da justiça, do amor e da paz, como rezamos no prefácio da missa da festa de Cristo Rei.
Dentro da comunidade eclesial, os cristãos leigos e leigas são chamados a desempenhar diversas tarefas: catequista, Ministro da Eucaristia, agente das diversas pastorais, serviço aos pobres e aos doentes. Somos chamados também a colaborar na paroquia e diocese, participando de conselhos pastorais e econômicos. Não como simples colaboradores do bispo e dos padres, mas como membros ativos da comunidade, assumindo ministérios e serviços para o engrandecimento da Igreja de Cristo.
Com os leigos, a Igreja se faz presente nos diversos ambientes sociais, levando a mensagem de Jesus Cristo, semeando os valores evangélicos da solidariedade e da justiça, empenhando-se decisivamente na construção da sociedade justa, fraterna e solidária, sinal do Reino de Deus.
Jesus nos mostra que a salvação é para todos, ele não deseja salvar somente os que O buscam. Ele convida a todos a segui-lo. “A experiência do encontro transformador com Jesus Cristo insere seus discípulos na comunhão com a Santíssima Trindade e lhes comunica a missão de anunciar o Reino de Deus, com palavras e sinais”. (DOC. CNBB 102, n.7), um Reino de paz, de justiça e de amor.
Relembrando a carta do Papa Francisco ao Cardeal Marc Ouellet sobre essa “hora dos cristãos leigos e leigas”, escrita aos 28 de abril de 2016, em que menciona o clericalismo, devemos estar atentos também ao que escreveu Pe Agenor Briguentti nos alertando sobre o clericalismo dos leigos.
Quando assumimos a nossa missão de cristãos leigos e leigas, podemos sonhar que um novo mundo é possível. O reino de Cristo cresce onde se manifesta a atitude de serviço, de doação generosa em prol dos irmãos, onde há o respeito pelos outros, onde se luta pela justiça, pela liberdade e pela paz.
Neste domingo da Solenidade de Cristo Rei, Jesus nos diz que quer ser amado e não adorado que possamos deixar a idolatria e o narcisismo e vivermos na simplicidade sendo verdadeiros cristãos leigos e leigas, refletindo sobre a corresponsabilidade na construção do Reino e no amor com compromisso.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui