Dia da Consciência Negra em Leopoldina

349

Por Wagno da Rocha Antunes (da Cáritas Diocesana de Leopoldina, CEBs e Movimento Negro)

Neste mês de novembro, no dia 20, comemorou-se 50 anos de celebrações do dia da Consciência Negra em nosso país. Fruto da conquista do Movimento Negro, a data faz memória de Zumbi, líder do quilombo de Palmares, morto nesta data em 1695, após heroica resistência contra a expedição organizada para destruir Palmares e reconduzir seus habitantes à escravização. Por extensão e pela ressignificação operada pelo Movimento Negro, tal data também simboliza a luta e resistência cotidiana da população negra brasileira contra o racismo que ainda vivencia em nossa sociedade e todas as terríveis consequências dele advindo em suas vidas. Em Leopoldina, na zona da mata, o 20 de novembro este ano teve um significado ainda mais especial. O Movimento Negro local, que tem participação de membros das Pastorais Sociais, CEBs, Agentes Pastorais Negros e Cáritas, numa mobilização e articulação com outras forças sociais, conseguiu no mês de setembro, que fosse aprovada lei que instituiu o dia 20 de novembro como feriado municipal, tendo tal data se tornado, oficialmente, dia das Religiões de Matrizes Africanas, Afro-Brasileiras e Consciência Negra, sendo já em 2021, o primeiro ano de sua comemoração no município nesta condição. Como já tem ocorrido a mais de 9 anos, o Grupo de Canto e dança do Projeto Social Pérola Negra abrilhantou a data, apresentando o Espetáculo Expressões Negras Importam II, no Cutubas, clube social construído em 1925 pela comunidade negra, impedida à época de frequentar o outro clube social da cidade, frequentado exclusivamente por brancos. O Pérola Negra é constituído por crianças e adolescentes de escolas públicas do município, principalmente da Escola Municipal Judith Lintz Guedes Machado, onde tem sua sede e realiza seus ensaios, tendo originalmente sido idealizado para trabalhar a lei 10639/03 (que trata do ensino da história e cultura afro-brasilera) na escola, e com o passar dos anos extrapolou os limites do município, já tendo ganhado inúmeros prêmios em festivais de dança de que participou em outros municípios e estados. Em 2018, após apresentação e aprovação de seu Projeto Social, o Pérola Negra foi contemplado com recursos do Fundo Diocesano de Solidariedade, à época gerido pela Cáritas Diocesana de Leopoldina, para manutenção e desenvolvimento de suas atividades. No espetáculo, com duração em torno de 2 horas, foram apresentados pelo Pérola Negra e convidados(as), danças, músicas, poesias, capoeira, hip hop, todas expressões relacionadas de algum modo a cultura negra. Também foi rememorado a figura de duas grandes personalidades negras de nossa História: o advogado, jornalista, escritor e militante abolicionista Luiz Gama e o poeta, artista plástico, ator, teatrólogo e militante político e do Movimento Negro Solano Trindade. Ao final, uma deliciosa feijoada foi servida a todos os presentes. Obs: Importante dizer que foram seguidos os protocolos sanitários contra a Covid recomendados pelos órgãos de saúde.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui