CPT e MST: e a (in)justiça agrária?: experiências de luta da CPT e do MST

236

Acaba de ser publicado dois livros de Frei Gilvander Luís Moreira, pela Ed. Dialética. Um tem como título LUTA PELA TERRA: pedagogia de emancipação Humana? Experiências de luta da CPT e do MST. São Paulo: Dialética, 2021. 332 páginas.
Eis a sinopse do livro, abaixo.

Este livro compreende a luta pela terra como pedagogia de emancipação humana. A análise teórica ancora-se na emancipação humana segundo Marx e vários marxistas. O materialismo histórico-dialético é nossa base teórica e prática. Analisamos a questão cultural na luta pela terra: a ideologia dominante e hegemônica; o sistema do capital e o capitalismo, grandes obstáculos da luta pela terra no chão da noite; uma série de pontos conexos, tais como: posse e/ou propriedade capitalista da terra, a raiz maior?; a aliança do atraso – Estado e oligarquias – e o controle da terra no Brasil; a Igreja e a questão agrária: da solidariedade à politização da luta pela terra; o trabalho ‘livre’ assalariado e a produção de mais-valia: o tronco da opressão?; a renda da terra e a luta pela terra: quanto mais luta pela terra menos renda e vice-versa; pilares da sociedade brasileira: a grande propriedade territorial e a escravatura (e, posteriormente, o regime de colonato); a ideologia do trabalho como meio para se enriquecer; o cativeiro da terra, condição para se abolir a escravatura negra e meio para ampliar a acumulação de mais-valia; com a força de trabalho dos imigrantes a mais-valia dos capitalistas agrários se reproduz e se amplia; a Lei de Terras: no Brasil, compra; nos Estados Unidos, posse. A luta pela terra integra a luta por democracia, contra o patriarcalismo e o verde-amarelismo; a ideologia dominante, o que (o)corre no mais profundo das relações sociais: fetichismo e coisificação, galhos que circulam o ar do capital; a questão religiosa na luta pela terra sob a perspectiva marxista. A luta pela terra está sendo ou pode se tornar pedagogia de emancipação humana? Buscamos compreender a práxis da CPT e do MST na luta pela terra em contexto de injustiça agrária, mas continua aberta a questão: na luta pela terra, pedagogia de emancipação humana? Finalizamos a tese com uma reflexão sobre a utopia da luta pela terra. Nas considerações finais elencamos as principais descobertas da pesquisa teórica e da pesquisa de campo que tornaram possível a construção deste livro.
O livro pode ser adquirido através do link, abaixo.

https://loja.editoradialetica.com/humanidades/luta-pela-terra

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui