204

Pés na Estrada, Mãos na Massa. 2020 –

Meus 40 anos de Caminhada nas CEBs-PARTE II

 

A Comunidade da Vila Alfen Paixão

Janeiro de 1980. Desembarco em Uberaba. Novo período de formação para a Vida Religiosa: O Noviciado na Congregação Sacramentina.

Primeiro domingo em Uberaba. Faço companhia a Sr. Antônio, confrade, em visita a uma vila vicentina.

Encontramos pela calçada da vila vários adolescentes jogando baralho. Sr. Antônio ameaça chamar a polícia. Adentramos para as casas. Ante ao desconforto causado pelo tratamento dado aos adolescentes, proponho às famílias uma reunião à tarde daquele domingo. Toparam. Nasce uma nova Comunidade Eclesial de Base.

Ao redor da Palavra nos reunimos à tarde. E demos continuidade aos nossos encontros, ao longo daquele ano. Nossos vínculos foram se estreitando. D. Ambrosina uma vez me confidenciou: “a gente gosta de você porque você respeita a gente”. E relatou a necessidade financeira de se prostituir, no passado, o que a levou a ser mãe solteira por três vezes. Realizávamos passeios comunitários. Fizemos o plantio da horta comunitária.Muitas pessoas passaram a participar das celebrações eucarísticas nos domingos.

  1. Eponina, de idade avançada, rezava o terço ao longo do dia. De uma feita, desabafou:

– Mas, Sô Zé, mulher não vai pro céu não?

– Nada me consta, D. Eponina – retruco. E ela arremata:

– É porque o ministro sempre fala que Jesus veio salvar os homens!

  1. Joanina morava em dois cômodos, com uma filha especial, Rute, de 40 anos. Acúmulo de bagulhos. Fogão à lenha. Animais de estimação, muitos insetos nocivos à saúde. A casa sempre fechada, por medo de invasores. Acreditava possuir muitas pedras preciosas.

Em mutirão, e meio à revelia, fizemos uma faxina e retirada de bagulhos inúteis da casa. Passamos cal nas paredes. No dia seguinte mostrava – se satisfeita: “Deus lhe pague. Eu tava morrendo no meio dos bichos”. Um tempo depois, nova faxina. Dessa vez trazendo colchões e lençóis novinhos.

Joaquina e Sr. Pedro eram pais de muitos filhos. A casa prestes a ruir. Em grande campanha pela cidade, obtivemos o material de construção. À base de mutirão, construímos uma casa para abrigar a família, em condições seguras.

Vencido meu tempo em Uberaba, e optando por não professar os votos religiosos, migro para Belo Horizonte, sem condições de continuar prestando acompanhamento sistemático à comunidade, ali retornando esporadicamente. Um tempo depois a Sociedade de São Vicente de Paulo se desfez dos imóveis. Foi construído um edifício no local.

Em 1981 dou início a uma nova caminhada, inaugurando a Comunidade Eclesial de Base do Alto do Pequi, em Formiga. Essa nova História vocês vão conhecer na terceira  parte desse relato.Atenção:  por uma questão ética, lancei mão de nomes fictícios ao identificar os componentes da Comunidade Alfen Paixão. Perdi contatos e muitos são já falecidos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui